Descriminalizando e taxando a maconha no Reino Unido poderiam-se aumentar a receita fiscal entre £400 milhões [R$1,47 bilhões] e £ 900.000.000 [R$3,3 bilhões] por ano, enquanto a redução dos custos com policiamento, processos e tratamento de usuários de drogas seria em £300 milhões [R$ 1,1 bilhão] por ano, a pesquisa sugere.

Acadêmicos da Universidade de Essex que compilaram o relatório disseram que o debate público sobre a política de cannabis tinha sido demasiado limitado em escopo e faltavam provas concretas em favor da criminalização. Eles disseram que a pesquisa psico-farmacológica sugeriu que o dano do consumo da maconha está relacionado com a composição química da droga, a fim de que a legalização e a regulação da sua venda poderiam controlar a sua potência.

Os investigadores acreditam que os ativistas antidrogas exageram muito a ideia de que o consumo de maconha pode levar para drogas mais pesadas.

“O licenciamento tiraria muitas pessoas do abastecimento ilícito de cannabis e, assim, reduziriam-se os danos… Nós estimamos uma modesta rede de benefícios externos a partir de reformas que visem evitar os efeitos danosos que os antecedentes criminais causam mediante o mercado de trabalho, sendo aproximadamente da mesma magnitude que o custo externo para a sociedade do impacto na saúde mental “, diz o relatório.

Stephen Pudney, professor de economia da Universidade de Essex e principal autor do estudo, disse que o relatório quis delinear fatores a considerar e que a mudança poderia trazer reformas.

Amanda Fielding, diretora da Fundação Beckley, que encomendou o relatório, disse:

“Nestes tempos de crise econômica, é essencial examinar as possibilidades de políticas de drogas mais rentáveis. Nossas políticas atuais com base na proibição têm-se revelado um fracasso em todos os níveis. Os usuários não estão protegidos, coloca-se uma das maiores indústrias do mundo nas mãos de cartéis criminosos, que criminalizam milhões de usuários, lançando uma sombra sobre o seu futuro, além de criar violência e instabilidade, particularmente nos países produtores e de trânsito.”

Tradução SmokeBud
Via EuroNews