Para provar teoria de que a maconha pode ajudar a economia, o jornalista Doug Fine passou um ano em uma comunidade agrícola que legalizou o plantio da cannabis

O jornalista Doug Fine lançou o livro Too High to Fail – Cannabis and the New Green Economic Revolution (Muito chapado para falhar – Maconha e a Nova Revolução Econômica Verde, na tradução livre). A publicação é resultado de um ano de pesquisas na comunidade rural do condado de Mendocino, Califórnia, onde o plantio de maconha para fins medicinais foi autorizado pelo xerife local.

O jornalista Doug Fine
O jornalista Doug Fine

Na cidade, cada produtor pode cultivar até 99 mudas de cannabis, pois a lei federal proíbe plantios maiores. Segundo

a pesquisa de Doug Fine, 80% da economia da cidade é movida pela maconha, com renda total de U$ 6 bi a US$8 bi ao ano.

No livro, Doug Fine também entrevista um professor de economia de Harvard. Ele avalia que, em 2011, os EUA poderiam ter arrecadado US$ 6,2 bilhões em impostos, com números obtidos sob proibição. Se fosse legalizada, esse número poderia chegar a US$ 47 bilhões.

Além disso, a planta poderia ser mais eficaz na indústria têxtil, energética e alimentícia.

Maconha contra a dívida

A cidade de Rasquera*, na Catalunha, Espanha, também pretende utilizar a maconha para sair da crise econômica. Foi aprovado, via plebiscito, a plantação de cannabis para pagar as dívidas da crise financeira.

O plantio será feito pela ABCDA – Associação de Barcelona de Autoconsumo de Cannabis em terrenos da prefeitura, que receberá 550 mil euros por mês. A estimativa é que a dívida seja quitada em dois anos.

Via: Catraca Livre

*Na Pontinha… 
Um juiz de Tarragona revogou em maio (2012) o plano da cidade de Rasquera que pretendia superar a crise econômica com a renda obtida pela cessão de terreno a uma associação de consumidores para plantar maconha. Pouco depois, a Advocacia do Estado apresentou recurso, que aguarda resolução por um tribunal de Tarragona.