“Muitos atletas treinam chapados, isso não é novidade para ninguém e a Maconha me ajudou e muito a desenvolver novas posições, e a abrir a minha mente para desenvolver esse Jiu-Jitsu peculiar que eu pratico” Afirmou Eddie Bravo. As informações são da Revista Tatame

[quote_box_right]“O Vaporizador e a Cadeira Elétrica foram uma dessas posições que eu desenvolvi quando estava chapado de maconha, não tenha dúvidas disso. Muitos atletas de Grappling e Jiu-Jitsu treinam chapados, isso não é novidade para ninguém e a erva me ajudou e muito a desenvolver novas posições, e a abrir a minha mente para desenvolver esse Jiu-Jitsu peculiar que eu pratico”[/quote_box_right]

Eddie Bravo ficou conhecido no mundo da luta quando, em 2003, ainda como faixa marrom, finalizou o tetracampeão Mundial Royler Gracie com um triângulo, em uma luta válida pelas quartas de final do ADCC. Em 2014, os dois se reencontraram no Metamoris 3 e, após 20 minutos de uma luta muito movimentada, terminaram empatados.

Durante o combate, Eddie encaixou no brasileiro duas posições criadas por ele: o “Vaporizador”, que força o joelho do oponente, e a “Cadeira Elétrica”, que testa a flexibilidade da virilha. Segundo o americano, tais finalizações foram criadas com a ajuda de uma polêmica substância: a maconha.

“O Vaporizador e a Cadeira Elétrica foram uma dessas posições que eu desenvolvi quando estava chapado de maconha, não tenha dúvidas disso. Muitos atletas de Grappling e Jiu-Jitsu treinam chapados, isso não é novidade para ninguém e a erva me ajudou e muito a desenvolver novas posições, e a abrir a minha mente para desenvolver esse Jiu-Jitsu peculiar que eu pratico”, disse Eddie, em entrevista à Ag. Fight.

Bravo também afirmou que, quando encaixou o “Vaporizador”, tinha certeza de que Royler iria bater.“Ninguém nunca tinha resistido ao ‘Vaporizador’. O joelho do Royler estalou sete vezes e ele simplesmente me disse que era normal e que era para eu continuar o combate”, disse.