Componente encontrado na erva pode auxiliar a aliviar sintomas da psicose sem trazer muitos efeitos colaterais. As informações são do Terra.

Um componente encontrado na maconha pode, em breve, será testado em jovens australianos para prevenir e tratar a psicose, após uma pesquisa europeia sugerir que ele seria eficaz contra a esquizofrenia. As informações são do diste do jornal The Age National.

O diretor do Orygen Youth Health Research Centre, Patrick McGorry, disse que enquanto o tetraidrocanabiol (THC) encontrado na maconha é conhecido por aumentar o risco de psicose em cerca de 10% a 20% das pessoas, outro componente, o canabidiol (CBD) parece aliviar a doença, assim como a depressão e a ansiedade.

Ele afirma que sua equipe espera testar o componente em jovens que mostram sinais precoces de psicose, para poder comparar com outros tipos de medicamentos que frequentemente causam efeitos colaterais. “Existem muitas preocupações sobre medicações antipsicóticas. Obviamente são efetivos, mas os efeitos colaterais de longo prazo são preocupantes, especialmente o ganho de peso e problemas metabólicos”, afirma.

Em 2009, pesquisadores alemães fizeram um estudo controlado, com 42 pessoas, que mostrou que o CBD funcionou tão bem quanto fármacos na redução de sintomas psicóticos, com uma redução significativa nos efeitos colaterais.

McGorry avisa, no entanto, que a pesquisa mostra as partes boas e ruins da maconha. A equipe alerta aos jovens que não façam uso da droga, devido aos riscos para a saúde. Se um teste com o componente for realizado, ele envolverá apenas o componente em sua forma farmacêutica. “Nós não estamos, definitivamente, dizendo que fumar maconha pode curar a psicose”, ressaltou.