Apesar do grande apelo das estrelas internacionais, os mineiros do Skank conseguiram tirar o público do chão no Rock in Rio. Ao tocarem uma sequência de sucessos, empolgaram a abertura do palco Mundo. O show dos mineiros também foi marcado por mensagens políticas. Hino da onda de manifestações vividas no país em junho e julho, “Vem pra rua vem!” abriu a música Partida de futebol.

“Maconha é proibido, mas fazer mensalão de novo pode”

Samuel Rosa, vocalista da banda, levantou a bandeira da legalização da maconha durante a música “É proibido fumar”, clássico de Roberto e Erasmo Carlos. “Maconha é proibido, mas fazer mensalão de novo pode”, disse Rosa, em referência à decisão, na última quarta-feira, do Supremo Tribunal Federal de aceitar os recursos dos condenados pelo escândalo do Mensalão. No palco Sunset o tom político também se fez presente na reunião do sambista da Mangueira Ivo Meirelles com as cantoras Elba Ramalho e Fernanda Abreu.

30 anos de Rock in Rio

Em 2015 o Rock in Rio voltará ao Rio de Janeiro e chegará aos Estados Unidos, em Las Vegas. A informação foi confirmada pelo criador do festival, Roberto Medina, em coletiva de imprensa concedida neste sábado.

Para comemorar os 30 anos do festival – realizado pela primeira vez em 1985 – Medina disse querer também levar o festival a outra cidade da América Latina. Medina confirmou também que em 2014 o Rock in Rio voltará a Lisboa, onde já foi realizado cinco vezes.

O Rock in Rio começou em 13 de setembro e terminará neste domingo com as apresentações de Avenged Sevenfold e Iron Maiden. Em todas suas edições, o festival já teve mais de 28 milhões de espectadores.

Via: Zero Hora