Nesta quarta-feira, 2, o Pew Research Center divulgou uma pesquisa que mostra como a visão dos norte-americanos em relação à maconha tem mudado. Segundo ela, 75% acreditam que sua venda e uso acabarão sendo legalizados. As informações são da AFP, via EM – Estado de Minas.

A maioria dos americanos apoia a legalização da maconha, e três a cada quatro acreditam que isto será uma realidade em todo os Estados Unidos algum dia, revela uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira.

“A população parece pronta para uma trégua na longa guerra contra as drogas”, assinala o Pew Research Center na introdução do estudo, publicado no site da instituição.

Para 54% dos pesquisados, a maconha deve ser legalizada, revela o instituto baseado em Washington.
Sobre a possível legalização da venda e do uso da maconha em todo o país, 75% responderam positivamente, incluindo os 42% que rejeitam a medida.

Colorado e Washington legalizaram a maconha para uso recreativo, enquanto outros 21 estados e o Distrito de Columbia (onde está a capital, Washington) permitem seu consumo em tratamentos médicos.

Em nível federal, a maconha segue sendo uma droga ilegal, como a heroína e o LSD.

Nesta quarta-feira, a diretora da agência antidrogas DEA, Michele Leonhart, defendeu a manutenção de um enfoque punitivo.

Ao solicitar junto ao comitê de Orçamento da Câmara de Representantes uma maior verba para a DEA, Leonhart recordou que a guerra de anos contra as drogas “não será vencida de um dia para o outro”.

A funcionária assinalou ainda que o número de casos nas salas de emergência relacionados com o consumo de maconha cresceu 48% entre 2007 e 2011.

O instituto Pew consultou por telefone 1.821 pessoas em todo os Estados Unidos entre os dias 14 e 23 de fevereiro para a pesquisa, que tem uma margem de erro de 2,6 pontos.

Para 60% dos entrevistados, o governo deve atender melhor os dependentes de cocaína e de heroína, enquanto 63% aprovam a suspensão de punições penais para usuários não violentos.

A pesquisa revela ainda que 63% não aprovam o uso da maconha em público, enquanto quatro de cada dez não gostariam de ter um estabelecimento de venda da maconha na vizinhança.

Em outra pesquisa nesta quarta-feira, realizada pelos sites WebMD e Medscape, 67% dos médicos dos Estados Unidos acreditam que a maconha deve ser uma opção para os pacientes.