Abrindo a temporada das Marchas da Maconha, por todo Brasil, a Zona Oeste recebe a segunda edição do ato neste sábado, dia 11 de abril, que promete tomar as ruas do Recreio e gritar pela Legalização e contra a Criminalização da pobreza. Para não pagar de sequelado, se liga na convocação e sugestão do Dr. André Barros, colunista do SmokeBud e advogado da Marcha da Maconha.

Neste sábado, dia 11 de abril de 2015, às 4:20 da tarde, saindo do Pontal, vai rolar a Marcha da Maconha da Zona Oeste. A concentração vai começar duas horas antes do evento.

Vamos realizar um desagravo ao grande Tim Maia. Maconheiro assumido, ele defendia abertamente a legalização do que chamava de estupefaciente. Maior voz do Brasil, fez toda a orla cantar o clássico do “Leme ao Pontal”. Neste ano, alguns amigos e conhecidos rodaram numa operação da policial federal, apelidada com o mesmo título da consagrada canção, num verdadeiro desrespeito ao autor.

Tim deve estar revoltado nas nuvens das estrelas, pois sua criação musical não tem qualquer relação com a prisão de plantadores. Ele considerava ridícula a criminalização da planta, e fez uma música libertária, que nada tem a ver com o nome de uma operação policial para prender maconheiros.

A sessão de desagravo é um acontecimento conhecido em defesa pública de um advogado, quando este foi desrespeitado durante o exercício da sua atividade profissional, e tem como finalidade defender os interesses do cidadão.

Portanto, proponho à Marcha da Maconha da Zona Oeste, que vai partir do Pontal, que realize uma sessão de desagravo ao Tim Maia na praça pública que leva o seu nome.

Neste sábado, dia 11 de abril de 2015, [email protected] que defendem a legalização da planta da paz e amam Tim Maia estão intimados a comparecer à Marcha da Maconha do Pontal para a realização de desagravo do grande gênio da música popular brasileira e participar da primeira Marcha da Maconha do ano no Estado do Rio de Janeiro

Acesse e confirme presença: https:https://www.facebook.com/events/634768043295603/