Foi da maresia de Ipanema, da nossa marola, que essa onda aumentou e se espalhou por todo o Brasil, transformando as Marchas da Maconha num dos eventos políticos mais importantes desse país maravilhoso. Por isso não tenha vergonha: 9 de maio, venha pra Marcha da Maconha!

Sem perder de vista que a planta é nossa, comum e obra da natureza, não vamos permitir nem que o mercado nem que o Estado se apropriem dela. Sabemos que essa guerra às drogas é uma farsa, é a guerra aos pobres, assassinados nos morros, vielas e torturados nos campos de concentração penitenciários da cidade maravilhosa. Senhoras são punidas nessa guerra racista, onde mães negras são submetidas a todo tipo de discriminação quando vão visitar seus filhos nas cadeias.

Fincamos nossa raízes na vitória no Supremo Tribunal Federal por 9 votos de Ministros do STF favoráveis e nenhum contra. A Suprema Corte do Brasil reconheceu que a Marcha da Maconha é garantida pela Constituição Federal. Foi da maresia de Ipanema, da nossa marola, que essa onda aumentou e se espalhou por todo o Brasil, transformando as Marchas da Maconha num dos eventos políticos mais importantes desse país maravilhoso. Com tanta terra, sol e água, nossa luta é para que nossas sementes da paz se espalhem por essa sociedade violentamente desigual. Sem tirar o pé do chão, sabemos que vivemos um momento de avanço de mentes tenebrosas, que tiram a liberdade de plantadores de flores das plantas fêmeas, quanta covardia! No meio dessa fumaça, temos o Recurso Extraordinário nº 635659, travado no STF desde 11 de março de 2011, com o Ministro Gilmar Mendes. Se fizermos o Ministro votar e rolar o processo, podemos descriminalizar o consumo de maconha e de todas as substâncias proibidas no Brasil. O que está em questão são as garantias fundamentais da privacidade, individualidade, liberdade e domicílio, não aguentamos mais esse Estado hipócrita e moralista se metendo em nossas vidas.

Vivemos um momento preocupante no Brasil, onde somos forçados a ficar de um lado ou do outro. O binarismo burro não pode dominar a vida política do país. O pensamento a favor de direitos civis e políticos, por exemplo, é colocado do lado contrário de direitos sociais e econômicos e vice-versa. A dialética morreu. A fome de comer e fumar maconha precisa se encontrar na construção de uma sociedade livre, justa e solidária. De nada adianta defender a legalização da maconha e ser a favor da redução da maioridade penal. Pense nisso e não tenha vergonha: 9 de maio, vem pra Marcha da Maconha!

Acesse e confirme presença: https:https://www.facebook.com/events/891492887567780/

Foto de Capa Mídia Ninja