A Marcha da Maconha de Belo Horizonte levou as ruas da capital mineira 10 mil pessoas em prol da regulamentação da maconha na tarde de sábado (31). Além do tradicional baseadão mineiro o ato teve o ‘Helicóptero do Pó’. Em Juiz de Fora o ativismo foi as ruas.

Com direito a baseado gigante e helicóptero a capital mineira recebeu mais uma edição da Marcha da maconha. Após algumas horas na na Praça da Estação concentrando o ato partiu às 16:20, composta por alas e blocos, a Marcha da Maconha de BH arrastou uma multidão pelas ruas do centro. Reivindicando a legalização da maconha o ato reuniu 10 mil pessoas na Praça da Liberdade.

A polícia militar acompanhou o evento. Na Praça da Estação, segundo o tenente Warley Elias dos Santos, da 6ª Companhia do 1º Batalhão, ninguém foi visto fumando maconha, em entrevista a Edilene Lopes a Rádio Itatiaia.

BASEADÃO E HELICÓPTERO DO PÓ

A MM BH foi as ruas com duas alegorias que acompanharam o ato. Uma delas, já tradicional nas marchas mineiras, o baseadão com mais de 4.20 metros e um helicóptero, de bambu e papelão, que relembra o caso do veículo da família Perrella, detido com cerca de meia tonelada de pasta de cocaína, em novembro de 2013, simbolizando a impunidade dos grandes empresários do narcotráfico brasileiro.

As alegorias seguiram por todo o percurso da marcha até serem incendiadas na porta do Palácio da Liberdade, antiga sede administrativa do governo de Minas Gerais.

MARCHA DA MACONHA JUIZ DE FORA

Ainda em terra de mineiro, Juiz de Fora (MG) marchou pela legalização da maconha pedindo um basta dessa guerra aos pobres e reivindicando uma nova política de drogas. Com informações Mídia Ninja.

Abaixo relacionamos a clipagem das principais notícias sobre a Marcha da Maconha de BH

Clipping 01       Clipping 02

Clipping 03       Clipping 04

Clipping 05       Clipping 06

Fotos da Marcha de Maconha BH por: Maxwell Vilela / Wellyson Ramalho / Rafael Russano

Foto de capa por: Maxwell Vilela