A Rede Globo e suas concorrentes (imitadoras) noticiaram que nos últimos dias houve confronto, quando, na realidade, ocorreram massacres dos policiais contra professoras, merendeiras e apoiadores. Enquanto as manifestações da nova geração eram chamadas de “reuniões de vândalos”, as primeiras passeatas das professoras foram citadas como exemplos de mobilização.

Mas a máscara desse novo fascismo capitalista de mercado começou a cair e o cartel voltou a se revelar. Nos últimos dias, em que professores e professoras da rede pública lutaram legitimamente nas ruas por remuneração e condições dignas de trabalho, abriu-se a cortina da ditadura.

Os professores e professoras tomaram a histórica Cinelândia, onde está situada a Câmara dos Vereadores, para acompanhar e pressionar o voto dos vereadores acerca de um projeto de lei de interesse da categoria. Foram brutalmente espancadas. Um advogado que acompanhava e defendia a mobilização também foi “juntado” pelos policiais que quebraram sua cabeça.

Essa violência policial consiste numa política de Estado da dupla Tucana do PMDB, apoiada pelo PT e pelo governo federal, que age como se fossem ditadores, em plena democracia. Temem o grito “não vai ter copa” e o sentimento de traição, que movimenta os espíritos e pensamentos da cidade, pois o carioca não gosta de ser tratado como otário.

Agora, você já pensou, se numa dessas manifestações, a polícia jogasse bombas de efeito moral, gás lacrimogênio e spray de pimenta em senhoras indefesas, e uma dessas professoras, que poderia ser a nossa mãe, morresse?

Amanhã vai ser maior!

  • Rodolpho Oliveira

    Estamos vivendo nas mãos de pessoas corruptas que não ligam nem pra sua própria mãe…
    #Pliciasdemerda
    #Politicosdemerda
    #Politicademerda
    #quandoseraqueessaporravaimudar?