Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Milhares de pessoas participaram neste fim de semana, sábado (23) e domingo (24),  das 8 marchas pela legalização da maconha que rolaram pelo país todo. Entre as cidades, Contagem, em MG, Londrina, no Paraná, e Santos, em SP, receberam pela primeira vez o ato.

Em São Paulo, a manifestação mais esperada do calendário verde, e que já vem sendo aclamada como a maior Marcha da Maconha da história do Brasil, saiu sob os gritos “Pela liberdade [email protected] [email protected] [email protected] / Em memória [email protected] [email protected] levando mais de 20 mil pessoas às ruas, segundo a organização – e 4 mil segundo a PM -, pela legalização da maconha e contra a guerra às drogas. A cobertura detalhada da maior Marcha da história, você vê em breve por aqui, no Smkbd.

MM SP 2015 Ninja 2
“Pela liberdade [email protected] [email protected] [email protected] / Em memória [email protected] [email protected]”, levou 20 mil às ruas de São Paulo em mais uma edição da Marcha da Maconha ~Foto: Mídia Ninja / Facebook

Pela legalização por completo da Maconha, desde o uso medicinal ao recreativo, desde o cultivo caseiro às lojas oficiais, a militância capixaba foi às ruas com mais uma edição da Marcha Mundial da Maconha em Vitória, capital do Espirito Santo. Mais de 800 pessoas, segundo a organização – e 350 segundo dados da PM -, entre usuários e não usuários, marcharam no sábado (23) pelo fim da atual política de “guerra às drogas”.

Confira como foi o ato pela cobertura Fotográfica realizada por Tati Hauer – BONDE – Núcleo Movél de Comunicação

O ativismo mineiro adicionou neste último sábado mais uma marcha na região, reforçando a luta e os gritos pela legalização da ganja, com a Primeira Marcha da Maconha da cidade de Contagem, em Minas Gerais, que reuniu centenas de manifestantes por uma nova política de drogas.

Marcha da Maconha Contagem MG - 32
1ª Marcha da Maconha da cidade de Contagem em Minas Gerais – Foto: Guilherme Fernandes de Melo

Ainda no sábado, por mais que a equipe Smkbd tenha sequelado e não inserido na matéria que divulgou as marchas da última semana – foi mal, ‘Sequela Nossa’ – , o ativismo de Nova Iguaçu foi pras ruas na sua 4ª edição da Marcha da Maconha, na baixada do Rio de Janeiro.

MM nova iguaçu 2015
Concentração de ativistas e PM’s (ao fundo) na 4ª Marcha da Maconha de Nova Iguaçu

Pelotas realizaria sua segunda Marcha da Maconha neste sábado (23), mas devido as condições climáticas o evento foi transferido para o próximo dia 30, sábado, na mesma hora e local. A concentração está marcada para às 14h00, na Praça Dom Antônio Záttera (Avenida Bento Gonçalves). Para mais informações, clique AQUI.

Domingão Canábico

Abrindo o domingão, a militância canábica em Salvador foi às ruas no último dia 24. Cerca de 300 pessoas, segundos números da polícia, seguiram até a Praça municipal sob a bandeira pelo “Fim da Guerra às Drogas e o Fim do Genocídio da Juventude Negra”. O tema está relacionado ao caso dos 12 jovens mortos durante um confronto com a polícia no bairro do Cabula.

MM Salvador 2015 Davi Oliveira
parada na Secretaria Estadual de Segurança Pública, localizada em frente à Praça da Piedade, para ato público em nome de todos os mortos na ocasião. Foto por Davi Oliveira / Facebook

Durante a manifestação os ativistas fizeram uma parada na Secretaria Estadual de Segurança Pública, localizada em frente à Praça da Piedade, para ato público em nome de todos os mortos na ocasião.

MM Salvador 2015 Driele Lima
Marcha da Maconha Salvador 2015 – Foto Driele Lima / Facebook

Se no sábado teve uma Marcha da Maconha inédita, o domingo surpreendeu com duas manifestações inéditas: uma marcha em Santos e outra em Londrina. Na Baixada Santista, o ativismo reuniu cerca de 300 pessoas na Praça da Independência, no Gonzaga, estreando a 1ª Marcha na região.

MM santos
Cerca de 300 pessoas compareceram a 1ª Marcha da Maconha na Baixada Santista – Foto: Marcha da Maconha Santos / Facebook

Se a missão é propagar os gritos exigindo a regulação da maconha por todo o Brasil, Londrina também entrou na rota das marchas pelo país. No domingo, militantes pela legalização da erva promoveram a primeira Marcha da Maconha pelo centro da cidade, fomentando o debate sobre o uso da ganja para diversos fins. A concentração lotou a concha acústica e, dali, partiram em direção ao Zerão, um centro de recreação da cidade, com faixas e cartazes sob os gritos que pediam a regulação da maconha.  A Polícia Militar não acompanhou a manifestação e não houve contagem por parte do órgão.

MM Londrina Fernando Alfradique
Concentração da 1ª Marcha da maconha de Londrina, na Conha Acústica – Foto: Fernando Alfradique / Facebook

Não foi só em São Paulo que a marcha bateu o recorde de público. Em Fortaleza, o ate bateu a marca do ano passado, levando às ruas no último domingo (24) mais de 10 mil pessoas pedindo a legalização da maconha, na 8ª edição da marcha.

Levando como pauta o direito ao cultivo caseiro, a desmilitarização da polícia militar, a luta pelo fim do machismo na sociedade e o fim do racismo, sendo os negros de periferia tratados como bandidos por causa da cor da pele, e o fim da discriminação à população LGBT, a Marcha da Maconha de Fortaleza pode ser considerada também um das mais importantes e maiores manifestações do ano e do país, em 2015.

Confira como foi o ato pela cobertura Fotográfica realizada por Kélvin Cavalcante / via Facebook da MM de Fortaleza.

O circuito das marchas pelo Brasil continua, então largue mão dessa ideia pequena de que um só não faz diferença… faz sim! E muito! Acesse, pesquise, escolha a Marcha da Maconha mais próxima da sua região e participe!

Confira a agenda completa. Clique AQUI ou acesse //marchadamaconha.org

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

pessoas


Curte nossa nova página no Facebook

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here