Um mês e meio após ser preso com quatro pés de maconha em sua casa, integrante da ConeCrew será libertado. As informações são do O Globo

O juiz Enrico Carrano, da Comarca de Miguel Pereira do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, determinou, nesta quarta-feira, que o rapper André da Cruz Teixeira Leite, conhecido como Cert, da ConeCrew Diretoria, preso no Complexo Penitenciário de Bangu desde o dia 22 de fevereiro, deixe a cadeia. Cert foi detido com quatro pés de maconha em sua casa, no município do Sul Fluminense, e chegou a ser autuado por tráfico de drogas. A denúncia foi desclassificada pelo promotor Charles Amitay Weskler, que disse ser claro que a droga encontrada no imóvel do músico era para consumo pessoal.

10985173_1085242778159103_7235027963256694331_n
Cert ficou quase dois meses presos, em Bangu Foto: Reprodução / Facebook

Na audiência, prestaram depoimento como testemunhas um policial civil e a sogra de Cert, que havia denunciado a plantação do músico à polícia. Ambos confirmaram que o rapper é usuário de maconha, dizendo que ele não tinha objetivo de vender a droga a ninguém. O Ministério Público reconsiderou a acusação que classificava o plantio de maconha encontrado na casa de Cert como algo voltado para a venda da droga, após os depoimentos prestados. “Embora comprovada a autoria e materialidade delitiva, a prova hoje produzida deixa claro que o objetivo com o qual o acusado tinha e cultivava o vegetal entorpecente era para consumo pessoal. Concluir além disso, caracterizaria mera suposição, presunção, divorciada da análise da prova que nesta oportunidade cabe fazer”, declarou, na audiência, o promotor Charles Weskler.

A decisão foi comemorada pelo advogado de Cert, Felipe Machado Caldeira, que enxerga o caso como um passo à frente no sentido de descriminalizar o usuário de maconha. Segundo ele, o rapper deve deixar a cadeia nesta quinta-feira.

— A linha que a gente seguiu na defesa foi acolhida pelo Ministério Público e pelo juiz. A gente vê que há uma tendência que siga assim, nesse sentido. Esperamos que seja um exemplo. É a melhor decisão possível. Foi feita uma transação penal e isso não gera nenhum problema ao André, maus antecedentes, nada. Estamos resolvendo os trâmites burocráticos. A gente espera que amanhã (quinta-feira) consiga tirá-lo da prisão. — disse o advogado.

O juíz determinou que, a partir da transação penal, Cert pague uma multa, pelo porte de drogas, de R$ 10 mil, que devem ser pagos no prazo de cinco meses. No Facebook, integrantes da ConeCrew Diretoria comemoraram a expedição do alvará de soltura do companheiro de banda. “Oficialmente venho informar todos os nossos fãs, amigos, familiares e admiradores, que nesses últimos tempos sofreram, torceram e se sensibilizaram com o caso do Cert… CERT ACABA DE SER ABSOLVIDO DA ACUSAÇÃO DE TRÁFICO E NAS PRÓXIMAS 48HS VAI ESTAR NA RUA!!! Muito obrigado a todos!!!”, escreveu Maomé, um dos membros do grupo. Em menos de uma hora, mais de 7 mil pessoas curtiram a publicação. No Facebook oficial do conjunto, a banda informou que Cert já vai estar presente nos próximos shows marcados: “Obrigado à todos que participaram da campanha #LiberdadeCert, ele foi absolvido, essa é sua última imagem na cadeia. Atenção galera de São Paulo e Santos, ele estará presente nos shows do fim de semana!”