Muita gente torceu o nariz para o programa de estatização da maconha no Uruguai. Mas numa entrevista a Emir Sader, o presidente José Mujica, diz porque decidiu chamar para o governo a responsabilidade de comercializar a droga:

“Primeiro que reconhecer a existência do problema é uma tradição do nosso país. Em 1915 o Uruguai estatizou a fabricação e a venda do álcool. Vendia caro e com os lucros desenvolvia políticas públicas voltadas à recuperação dos dependentes. Fizemos o mesmo em 1912 com a prostituição, o Estado passou a coordenar essa atividade. Portanto, foi com base na própria história do Uruguai que decidi agora enfrentar o problema da maconha, que é uma praga , como é o tabaco e como sempre foi o álcool. Sabemos de antemão que, combater o tráfico com os métodos tradicionais não adianta nada. Tem muito jovem sendo assassinado por causa das dívidas que contraem com os traficantes. Tirar essa arma das mãos do crime organizado considero que pode ser um avanço. Se vai dar resultado positivo, não sabemos, mas com certeza vamos fazer todo o possível para que tudo dê certo”.

Só lembrando que Mujica é aquele presidente da república que vai ao Palácio dirigindo o próprio fusca e mora numa casa modesta nos arredores de Montevidéu. Aos 80 e poucos anos, o ex-guerrilheiro do grupo Tupamaro é um exemplo de humildade e sensibilidade social.

Por Messias Mendes, Jornalista formado em Estudos Sociais e História.
Via: O Diário

  • JDV Rocha

    Pois então Dilma. Não basta se dizer humilde e dizer estar a favor do povo. Tem que mostrar também. Mujica para imperador mundial. Ou pelo menos meu avô. Eita bicho gente fina.