Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Enquanto vários países e estados dos Estados Unidos mudaram as leis em torno do uso da maconha, mesmo sabendo que de lá “pra cá” teve um grande aumento na potência da erva, com as cruzas. Teve também o aumento também no número de pessoas em tratamento para problemas relacionados à cannabis.

Foi então que cientistas passaram a fazer um grande esforço para tornar o consumo de cannabis menos prejudicial porque há um número crescente de países querendo mudar as tristes proibições para uma legislação mais eficaz.

Recentemente, o The Guardian fez uma matéria com os “verdadeiros” riscos do uso da maconha… Digo verdadeiro porque nem toda verdade é absoluta e há que ter sempre isso em conta. Não vou me alongar, mas no Brasil, por exemplo. Já há registro de patente de um psiquiatra que possuí uma maconha sintética. Então obviamente ele desestimula o uso da natural, por interesse comercial.

…Voltando riscos de usar maconha, o jornal inglês chamou diversos pesquisadores do King’s College de Londres e UCL que frisaram que esse momento é crucial para os funcionários de saúde considerar medidas para reduzir o dano causado pelo uso. Muitos dos riscos para a saúde que os usuários enfrentam poderiam ser reduzidos desencorajando que as pessoas de fumem com tabaco, e usando vaporizadores vez.

Segundo eles, em regiões que legalizaram a maconha, as intervenções de saúde poderiam colocar diversas regras que impõe um limite na força da maconha e uma tributação mais alta sobre as variedades mais potentes. Trabalhar com a composição química dela também poderia torna-la mais segura, sem alterar os efeitos prazerosos que os usuários desejam.

Segundo o psicólogo, Amir Englund, é difícil ter certeza de quais variedades de maconha as pessoas usam e em que quantidades, porque os dados tendem a basear-se apenas nas drogas que são apreendidas pela polícia. Mas as melhores estimativas sugerem que, no mercado global, o consumo de cannabis, em média, dobrou nas últimas quatro décadas. Em muitos países, incluindo o Reino Unido, a maconha “mais forte” domina as vendas no mercado negro.

Nos últimos oito anos, o número de europeus que iniciaram tratamento especializado para problemas relacionados com a cannabis aumentou mais de 50% (ele não citou nenhuma fonte ao jornal). Não está claro quantas pessoas se referem para o tratamento e quantos são enviados para clínicas pelo sistema legal, mas os cientistas (na cabeça dele cientistas são os outros amigos psicólogos da universidade dele) acreditam que a evidência de que a cannabis pode causar danos a alguns usuários é forte o suficiente para justificar o que ele esta fazendo.

Leia também:  Texas abre espaço para a legalização da maconha

Vários países europeus têm relaxado (vou falar disso depois) suas leis em torno do consumo de cannabis, incluindo Holanda, Espanha e Portugal, e nos Estados Unidos oito estados formalmente legalizaram o uso recreativo da droga. O Canadá deve seguir este ano. Muitas outras regiões agora permitem que a droga seja usada por razões médicas.

Enquanto a legalização é esperada para reduzir os custos da criminalidade, é improvável que vai reduzir o número de usuários. Ele afirma “Muitos países estão decidindo mudar suas políticas relacionadas a maconha para outras mais permissivas e não sabemos se isso vai levar a um uso maior e problemas significativamente maiores, mas sabemos que existem grupos vulneráveis ​​por aí”, disse Englund.

Os principais compostos encontrados na cannabis são THC (delta-9-tetrahydrocannabinol) e cannabidiol (CBD). O THC produz a “viagem”. Segundo ele maiores níveis estão ligados a um maior risco de psicose. Há alguma evidência de que a CDB pode combater os efeitos negativos do THC, como má memória e paranóia, mas níveis de alto CBD são difíceis de encontrar.

“Mais CBD pra cuidar do THC”
Uma opção que ele propõe é, aumentar os níveis de CBD na maconhas mais fortes, para que os usuários possam obter a viagem sem ter os riscos de danos mentais.

“Nós nem sempre temos o luxo de esperar por muita pesquisa e às vezes podemos usar a escassa evidência que temos para tentar fazer algum tipo de melhor julgamento de caso”, disse Englund. “Estamos bastante confiantes (perceba que ele não tem certeza) de que os níveis mais elevados de THC na maconha não são uma coisa boa, e parece que níveis mais elevados de CBD são protetores, pelo menos até certo ponto”.

Leia também:  Lei de drogas falhou e lotou as penitenciárias, aponta estudo

A matéria ainda diz que este ano, Englund lançará um estudo financiado pelo Medical Research Council para testar se diferentes níveis de CBD podem reduzir os efeitos nocivos do THC.

Já, Ian Hamilton – professor de saúde mental na Universidade de York, disse que o hábito europeu de fumar cannabis com tabaco foi o maior risco para a saúde dos usuários, mas isso foi ignorado pela saúde pública. Ele disse que havia “uma oportunidade real para minimizar tais danos, adaptando as estratégias que provaram ser eficazes na redução da incidência de tabagismo e prevalência na população em geral”.

Na pontinha…

É sempre bom que todas as áreas pesquisem sobre a erva, mas podemos notar um padrão, enquanto vemos Neurocientistas, como Dr. Renato Malcher explicam como a maconha atua no cérebro. Temos médicos, psiquiatras e inúmeros outras profissões estudando também, as vezes com falsos-positivos como argumento, isso porque a maconha não está legalizada e eles não podem afirmar que, de fato, o teste deles cobre toda a população. Como acontece com o cigarro.

Um exemplo seria o aviso do video-game dizendo que pode “causar ataques epiléticos”. Pode sim, mas são casos isolados. Coincidência ou não é aquela velha e boa formula da política do medo, como quando pesquisamos qualquer doença no Google.

Outra coisa. Sempre prestem atenção nos discursos, entrevistas e dialogo. Quando as pessoas falam relaxado é sempre usado quando as pessoas querem diminuir o discurso da legalização para um único ponto, ou para confrontar indiretamente. No Brasil, o Osmar Terra, Ronaldo Laranjeiras, Crippa já usaram inúmeras vezes esse verbo.

Enfim, Eu tive que colocar alguns adendos porque a matéria do The Guardian é razoavelmente boa. Se você curtiu e quer saber as infos sobre cannabis, assim veridicamente dichavadinho então acesse sempre o nosso site, me segue e siga o Smkbd.com no face. Tmj!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here