Seguindo marola da legalização nos EUA, estúdio de design concebeu uma nova ‘identidade visual’ à erva: ela vai desde um novo nome a um logo totalmente repaginado. O objetivo dos criadores é dichavar o preconceito e diminuir os estereótipos relacionados à ganja. As informações são do próprio site do projeto.

Ela já é legalize em dois estados e seu uso medicinal é liberado em 20 deles. Foi exatamente seguindo esta marola da legalização da maconha nos EUA que o estúdio de design Studio 360 resolveu repaginar a erva, dando uma nova “cara” para a sua identidade visual. Esse “tapa” vai desde um novo logo ou símbolo canábico a um novo nome para o velho baseado: canabiótico.

A proposta foi feita em parceria com o Original Champions of Design (ODC), uma agência de publicidade e design, e muda não só a cara da erva, mas o jeito com que as pessoas olham e encaram a planta.

A começar por seu “símbolo”, que deixou de ser a antiga folha verde e agora é representada por uma folha com 7 pontas na cor roxa (purple haze, hum?). O Studio 360 até apresentou alguns exemplos práticos de como o tal logo seria apresentado em roupas, livros, embalagens de alimentos e bebidas, banners e até nos emojis, famosas carinhas virtuais.

A nova cara da maconha

Um dos principais objetivos é afastar a maconha da ideia do baseado e do próprio fumo: “em vez de fumar maconha – fumar é apenas uma maneira de consumir qualquer coisa – as pessoas vão consumir produtos ‘canabióticos’ feitos da marijuana”, segundo seu próprio site. Além, claro, de reduzir os estereótipos de quem a consome.

O que achou do novo visual canábico, buddie? Gostou ou ainda prefere os tie-dyes, a cultura hipponga e a boa e velha folha verde da maconha? Deixe sua opinião!

Para acompanhar a proposta, basta acessar o site do Studio 360. Confira aí embaixo algumas das ideias da maconha repaginada:

A nova cara da maconha

A nova cara da maconha

A nova cara da maconha