Postado originalmente no Hempadão

Começou pela web e terminou na web: no sábado aconteceu a final do programa “Millionärswahl”, que foi transmitida ao vivo e com exclusividade pela internet. O ganhador foi o lobista do cânhamo (lobista = mediador financeiro de grandes empresas) George Wurth.

A série foi dividida em 8 capítulos/partes nos dois canais ProSieben e Sat.1. Atingiu seu público alvo. Após o segundo capitulo (com 980.000 expectadores) foi reduzida para quatro capítulos. No terceiro episódio, exibido sábado passado, a taxa de audiência caiu muito. No quarto episódio, ocorreu de um candidato (o empresário da maconha) convencer os internautas, expectadores e a concorrência sobre si e seus motivos para ser o ganhador. Assim ganhou 1 milhão de euros. Este quarto episódio só pôde ser visto através da internet.

Os sete candidatos restantes de um total de 26.875 inscritos, competiram por 1 milhão de euros. Na final foram: Michael Fritz (30) de Hamburgo, com a luta “Viva con agua”, que consiste em levar agua potável para países em desenvolvimento.

O professor Amadou Yombo Diallo (52) de Lunzenau, luta pela construção de escolas em Musside (Guiné)

Geoge Wurth (41) de Berlim, presidente da DHV (Der Deutsche Hanf Verband – Associação Alemã do Cânhamo), quer legalizar o consumo de cannabis. Rapper Ees (30) de Köln, quer dirigir e espalhar a cultura e música africana de “Kwaito” na Alemanha. E o dançarino de break Benedikt Mordstein (20) de Freising, quer apoiar jovens dançarinos.

O público e o Clube de Milionários da Alemanha pela primeira vez, elegeu democraticamente na final, através de votos, o próximo milionário da Alemanha. Eles avaliaram a proposta da legalização da cannabis como uma proposta que realmente vale um milhão de euros.

George Wurth quer a legalização da maconha. Wurth (41) é proprietário e diretor da DHV de Berlim: George foi entre 1997 e 2000, vereador e líder do Partido Verde na Câmara Municipal em Remscheid. Ele tem uma visão clara: promover o cânhamo como recurso natural ecológico e a cannabis como remédio. Além de acabar com a perseguição e introduzir a venda da maconha em lojas especializadas. Como especialista em matéria de política de drogas, ele já falou com os representantes do país. Ganhando o concurso, ele prometeu colocar todo o dinheiro dentro da luta e das associações cannabicas promovendo pesquisas e a publicidade da causa.

Via RP OnLine