MONTEVIDÉU – O projeto de lei sobre a legalização da maconha divide os uruguaios. Depois de votado na Câmara dos Deputados, ele seguirá para o Senado. A seguir, os principais pontos:

Projeto para produção de maconha pelo Estado: ideia ainda divide uruguaios Mônica Imbuzeiro/3-9-2012
Foto :Mônica Imbuzeiro

VENDA: O projeto de lei permite a compra de até 40 gramas mensais de maconha na rede de farmácias. Para poder comprar, o consumidor deve estar registrado. Sua identificação, no entanto, será mantida sob sigilo, de acordo com a lei de proteção de dados.

CULTIVO PRÓPRIO: O texto permite e regula o cultivo pessoal de até seis pés de cannabis por casa, e a produção coletiva em clubes integrados no mínimo por 15 e no máximo por 45 sócios.

USO MEDICINAL: Um dos objetivos é autorizar a produção para fins de pesquisa científica e de uso medicinal. Também prevê a permissão da cannabis não psicoativa, conhecida como cânhamo industrial.

PROIBIÇÃO: Como no caso do cigarro, não será permitido fumar maconha em espaços públicos fechados, tampouco dirigir sob o efeito da droga. Também se proíbe qualquer publicidade sobre a substância.

 Fonte: O Globo