Um estudo publicado na National Library of Medicine dos Estados Unidos informou que o consumo diário de cannabis pode proteger o fígado gordo em pessoas com hepatite C (VHC) e o vírus da imunodeficiência (HIV).

A pesquisa foi realizada com 838 pacientes com estas doenças. No estudo do comportamento dos canabinóides neste segmento, pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica (INSERM, siglas em francês) registraram uma redução significativa no risco de fígado gordo.

O fígado gordo ou a esteatose hepática é comum em pacientes doentes ou coinfectados com HIV e HCV.

“Alguns estudos recentes descobriram que o uso de cannabis tem um impacto negativo na resistência à insulina na população em geral e aqueles infectados com HIV e HCV. Dada a conexão, hipotetizamos que o uso de cannabis tem um impacto positivo na esteatose “, diz o estudo encontrado na PubMed, da National Library of Medicine dos Estados Unidos.
O método de pesquisa baseou-se em uma análise cruzada comparando a informação disponível aos consumidores de cannabis e aqueles com diagnóstico de fígado gordo. Nesse sentido, um modelo logístico foi implementado com o objetivo de avaliar a relação entre ambos.

Leia também:  Fumar maconha na adolescência não causa problemas futuros de saúde

Dos 838 pacientes estudados, 40,1% apresentaram esteatose; destes, 14% com uso esporádico de cannabis, 11,7% de uso habitual e 74,7% não consumiram.

O estudo sugere que, depois de monitorar ajustes de massa corporal, consumo excessivo de álcool e drogas como Lamivudino e Zidovudino, o uso diário de cannabis está associado a uma redução na prevalência de fígado gordo.

Os pesquisadores concluíram que os resultados deste estudo enfatizam a necessidade de mais avaliação clínica de terapias de cannabis baseadas em drogas ao nível da população.

 

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here