A ONU afirmou nesta quarta-feira (11) que a legalização da produção e da venda da maconha, oficializada na véspera no Uruguai, “viola convenções internacionais”.

O Senado uruguaio regulamentou comércio da erva no país. Legislação é mundialmente inédita!

A Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (Jife) lamentou, em comunicado emitido em Viena, a aprovação da lei por um país que assinou as convenções internacionais sobre drogas, e garante que não foi levado em conta o impacto negativo na sociedade da legalização.

Raymond Yans, presidente da Jife, mostrou na nota sua “surpresa” ao saber que “um governo que é um parceiro ativo na cooperação internacional e na manutenção do Estado de direito internacional, tenha decidido conscientemente romper as disposições legais universalmente estipuladas”.

O Uruguai se tornou, na terça-feira, o primeiro país do mundo a legalizar a produção e a venda da maconha. A iniciativa foi apresentada pelo governo como um “experimento”, com o qual ele tenta enfrentar o narcotráfico, em uma região onde as políticas repressivas se mostraram ineficazes e levaram à violência e ao crescimento do poder das máfias.

Via G1