Em mais um passo na regulação uruguaia, Mujica inova e anuncia que maconha estatal será cultivada em área militar. As informações são do jornal O Globo

‘Regulação não significa anarquia’ – Mujica

O governo uruguaio pretende utilizar instalações militares para o cultivo da maconha, afirmou o presidente José Mujica, em entrevista ao jornal chileno “La Tercera”. Segundo ele, a venda legal deverá começar no fim deste ano, e a plantação será feita sob rígido controle estatal.

“Não queremos ser produtores para exportar nem para complicar a vida dos moradores. Não pensem que a venda será livre. Regulação não significa anarquia”, assegurou Mujica.

O presidente adiantou ainda que seu governo cogita trabalhar com clones para reproduzir o mesmo código genético da erva. O Uruguai tornou-se em dezembro passado o primeiro país no mundo a regular o mercado da maconha e seus derivados. A legalização permite aos maiores de 18 anos ter acesso à droga, seja por cultivo, clubes de consumidores ou compra em farmácias, todos com limites e prévio registro junto ao Estado.

As normas para a regulamentação devem ser divulgadas em abril e definirão como serão concedidas as licenças para plantar a erva e os tipos a serem produzidos, entre outros aspectos da implementação da lei.

Segundo o ministro da Defesa, Eleuterio Fernández Huidobro, a utilização de um prédio militar para centralizar o cultivo da maconha tem como objetivo o controle sobre os cultivos autorizados, para evitar o tráfico ilegal.

— Estamos escolhendo que instalação oferece as melhores condições. O ideal é que seja distante, de difícil acesso — afirmou o ministro uruguaio.

De acordo com estimativas do governo, uma área de dez a 20 hectares para o cultivo seria suficiente para abastecer a demanda interna. A lei impede que a maconha cultivada legalmente seja vendida fora de suas fronteiras ou a estrangeiros.