A pureza, sabor e potência da planta são importantes atributos para usuários, sendo composições cruciais para a maconha perfeita: este parece ser o consenso atingido pela comunidade canábica, conforme mostra a recente pesquisa feita pela Global Drug Survey e apoiada pelo portal The Huffington Post. Ela explana estatisticamente as preferências pessoais de 38 mil usuário da erva. As informações são do Terra.

38 mil pessoas que consomem a droga responderam a um questionário e revelaram o que pensam dos efeitos da erva no organismo; percepção sensorial agrada, mas dependência e paranoia não

Como seria a “maconha perfeita”? A pesquisa Global Drug Survey, apoiada pelo The Huffington Post, consultou mais de 38 mil usuários da droga, em todo o mundo, e descobriu o que agrada ou não a quem consome a erva. O levantamento começou a ser realizado em novembro de 2013 e os resultados foram divulgados agora.

O gosto e o cheiro forte são considerados agradáveis. No entanto, quem costuma fumar maconha não gosta da perda de memória, da sensação de ressaca, da dependência, da paranoia e do efeito nocivo aos pulmões.

A “maconha perfeita”, segundo a pesquisa, aumentaria a percepção sensorial e permitiria que os consumidores conversassem tranquilamente uns com os outros, capacitando a compreensão mútua.

A conclusão do relatório é de que há um paradoxo nos resultados: embora os usuários queiram uma droga forte e com gosto marcante, são os efeitos da maconha mais potente que eles abominam. Assim, é possível concluir que não haveria maconha que não tenha características negativas para quem consome.

O questionário, que compreende à maior pesquisa sobre drogas do mundo, é feito pela internet, com usuários de todos os países.

Se isto tudo parece familiar para você, não se assuste! Em novembro de 2013 publicamos uma matéria pedindo para você responder o questionário feito pela Global. Para lembra, basta clicar aqui.

E para vocês, Buddies, como seria a maconha ideal? Comente e conte pra gente!