Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Segunda fase da campanha contou com a presença do candidato, do Partido Verde, que têm a legalização da maconha em seu plano de governo. Site e cartilha com informação sobre a maconha medicinal foram apresentados no evento.

O candidato à Presidência da República pelo PV, Eduardo Jorge, participou do lançamento da segunda fase da campanha Repense, que pede a regulamentação da maconha para fins medicinais. O plano de governo do partido defende a imediata legalização da planta para uso medicinal e recreativo. De acordo com o documento, essa é uma forma de enfrentar o tráfico de drogas, conforme noticiou a agência EBC .

Eduardo Jorge avalia que há uma falência do modelo repressor de combate às drogas. “Vários países estão se adiantando nesse sentido. O Brasil precisa rever a sua adesão incondicional à guerra militar contra as drogas para diminuir o sofrimento que essa política trouxe para o país”, disse o candidato. Ele destacou que essa política internacional de tentativa de erradicação da produção, do tráfico e do consumo, em prática há mais de 50 anos, foi incapaz de reduzir o uso dessas substâncias e criou tabus em torno do uso medicinal

O programa de governo aponta que “a política proibicionista, impulsionada mundialmente nas últimas décadas, tem tido um efeito totalmente contrários aos seus objetivos. O consumo não caiu e, pior, construiu indiretamente uma economia do crime poderosa, violenta, opressiva”. O partido destaca que não incentiva o uso de drogas, tanto lícitas, como ilícitas. “Outras drogas mais pesadas devem ter estratégias a serem implementadas na sequência”, diz o documento.

Repense

Campanha_Repense_Cred_Centro_Ruth_Cardoso
Lançamento da segunda fase da campanha Repense. [Foto: Centro Ruth Cardoso]
O Centro Ruth Cardoso e a 3FilmGroup realizaram, na última terça-feira (22), o lançamento oficial de LUTA, novo filme da campanha Repense, de conscientização sobre a maconha medicinal. O curta metragem de 5 minutos mostra as dificuldades burocráticas enfrentadas por Camila Guedes para importar canabidiol para tratar as convulsões de seu filho Gustavo, de 1 ano. Ela foi a primeira brasileira a conseguir autorização administrativa para importar o produto, mas, depois de enfrentar um processo de 39 dias para obter o produto, seu bebê morreu durante uma crise convulsiva grave.

Junto com o lançamento da segunda fase da campanha, também foi apresentado o site e uma cartilha de informação sobre maconha medicinal, financiadas por meio de um projeto crowdfunding no site Catarse. O evento contou também com a participação do médico Dr. Drauzio Varella, Mauro Aranha, psiquiatra e vice-presidente do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) e Tarso Araujo, co-diretor do filme e um dos criadores da campanha. A campanha Repense começou no fim de março, com o curta-metragem ILEGAL, sobre o caso de Anny Bortoli Fischer, primeira pessoa a ter autorização para usar um derivado de maconha no Brasil. O filme gerou um debate nacional sobre o uso terapêutico do canabidiol.

Acesse e conheça o site da campanha Repense

REPENSE: UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE A MACONHA MEDICINAL 
www.campanharepense.org

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

pessoas


Curte nossa nova página no Facebook

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here