O que sempre é alertado por toda a militância canábica brasileira, além de ser uma boa solução para o Brasil,  torna-se cada vez mais evidente com a experiência dos norte-americanos após a flexibilização da política acerca da maconha. Mudança veio junto com uma série de reivindicações da sociedade. As informações são do O Globo.

As prisões por porte de quantidades pequenas de maconha despencaram em Nova York, após uma mudança na política antidrogas da cidade americana. O novo comportamento da polícia vem na esteira de uma série de reivindicações da própria população, que deseja que a posse de cannabis para consumo próprio seja tratada como delito leve.

Desde novembro, a polícia vem tratando esse tipo de violação da lei como infração, usando uma repressão menos pesada, com intimações, em vez de prisões. As detenções despencaram 75% em dezembro, em comparação com o ano passado: de 1.820 para 460, de acordo com um relatório da Divisão de Estatísticas da Justiça Criminal obtido pela agência Associated Press (AP). Os números de novembro caíram 42%, de 2.200 para 1.280. Até mesmo as convocações caíram cerca de 10% desde a mudança de política, em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo os números do Departamento de Polícia de Nova York.

— Desde o início da nossa política, em 2014, as atividades de repressão ao uso de maconha estão tendendo a enquadrar todas as categorias de delito na penalidade mínima — disse a inspetora Kim Royster à AP.

Os críticos que lamentavam as prisões estão vendo o declínio com bons olhos, mas dizem que é muito cedo para tirar conclusões de longo prazo.

— Claramente, progresso está sendo feito, mas ele precisa continuar e se aprofundar — comentou Gabriel Sayegh, diretor da Aliança de Política de Drogas de Nova York.

As detenções por conta do porte da menor quantidade de maconha — menos de 25 gramas — havia subido de 5.700 em 1995 para 50.700 em 2011, alimentando críticas sobre as prioridades da polícia. Em seguida, as prisões começaram a diminuir por pressão da opinião pública e mudanças nos procedimentos da polícia, chegando a 29 mil prisões em 2013.

Então, em novembro, o comissário de polícia William Bratton anunciou a nova diretriz, que provocou uma forte queda no número de prisões nos últimos dois meses. O ano passado terminou com 26.400 detenções por porte de maconha, uma queda de cerca de 9% em relação a 2013.

A lei estadual torna um delito portar até 25 gramas de maconha, “em público”, mas o prefeito de Nova York disse que a cidade está escolhendo tratar a infração como uma violação não-criminal — ou seja, que acarreta uma intimação em vez de uma prisão, e uma multa de, no mínimo, US$ 100, em vez de três meses de prisão e uma ficha criminal. As detenções, no entanto, continuarão a ser feitas em alguns casos, como quando o indivíduo é flagrado fumando a droga em público.