Ao liberar, nem todo mundo corre atrás da maconha legalizada, só realmente os usuários. Por Marcelo Rubens Paiva¹ para o Estadão

Em 1 de janeiro de 2014, o Colorado se tornou o primeiro estado dos EUA a permitir que adultos comprem maconha para fins RECREATIVOS.

Nada de receita médica, clemência por uso medicinal.

Fechado o balanço, a decepção: o “coloradense” fumou pouca maconha e deixou apenas US$ 44 milhões de impostos para os cofres públicos.

Segundo a Associated Press, bem abaixo do esperado (2/3 abaixo).

Outros estados, como Alaska e Washington, também legalizaram a maconha para fins recreativos. Mas não completaram um ano de vigência da lei, para se fazerem comparações. Oregon e a capital seguiram o mesmo caminho.

A decepção traz uma boa notícia: ao liberar, nem todo mundo corre atrás da maconha legalizada, só realmente os usuários, que são em menor número do que o esperado.

¹MARCELO RUBENS PAIVA é escritor, dramaturgo, roteirista, há anos trabalha na imprensa como cronista do mundo contemporâneo, de olhos atentos à política, cultura, neuroses urbanas de hoje e do passado

  • Vic

    Isso é bom ou ruim? Não entendir

    • Luiz Henrique

      Isso é muito bom…
      Quebra o mito de que se legalizar a droga, vai todo mundo querer usar, o país vai entrar em um colapso e as pessoas vão se tornar zumbis.

      • qwertt

        Nossa, mas escreveram mal, fiquei pensando que tavam separando as pessoas que fumam maconha em usuários e algum outro grupo.

        • pothead

          Né.