Você está lendo

Tolerância à Cannabis, quando um fininho só basta

Normalmente a galera começa fumando um fininho, uma ‘perninha de grilo’ já faz a cabeça do sujeito. Para aqueles que gostaram mais da experiência e começam a fazer uso frequente, depois de um tempo é notável que para atingir o mesmo efeito já tenha que fumar uma dose maior, ou fumar com mais freqüência. Ai quando vê, só ta rolando bomba.

Quem já não passou por isso ou conhece alguém que já tenha experimenta o claro sinal da tolerância?

Tolerância é uma adaptação do nosso organismo em função daquilo que ingerimos. Ao fazer o chamado uso crônico de Cannabis, onde há consumo em altas doses por longos períodos de tempo, esses efeitos tornam-se mais perceptivos. O efeito do THC só é sentido graças ao sistema endocanabinóide, que inclui os endocanabinóides, amidas derivadas de ácidos graxos, que atuam no controle de funções do sono, memória e movimento, e os receptores CB1.

O THC se liga aos receptores canabinóides CB1, no sistema nervoso central (SNC), e assim dará início aos mecanismos biológicos que promoverão os efeitos que sentimos. Em uma pessoa que não faz uso de Cannabis, os receptores interagem apenas com os endocanabinoides, enquanto um usuário crônico recebe frequentemente doses altas de THC e outros canabinoides, o que acaba de alguma forma perturbando aquele equilíbrio natural. A alta exposição à canabinoides promove a diminuição no número de receptores CB1, sendo esse fato que leva à tolerância.

Leia também:  umdois, 10 reações que só quem é chapado entende

Se você se identificou nessa situação, não precisa entrar em pânico. Um estudo recente, divulgado em 2016, monitorou os receptores CB1 por tomografia de emissão de pósitrons (PET scan), com injeção de um material radioativo, comprovando a supressão dos receptores CB1 e ainda mais, acompanharam que em apenas dois dias os processos de recuperação já inicia, em 28 dias ainda havia sinais de melhora na tolerância.

Os usuários crônicos de Cannabis, mesmo após 28 dias, possuíam menor densidade de receptores, mas que ao manter a abstinência o organismo tende a se restabelecer. Uma forma de driblar a tolerância é fazer uso de micro doses, pequenas porções em períodos contínuos, que promoverá o efeito desejado sem saturar tanto os receptores. Ter conhecimento dos efeitos de tolerância é de grande importância para pacientes mais sensíveis de Cannabis Medicinal, atentando para que quando haja interrupção do tratamento, aos retornar deve ser redefinida a dose.

Leia também:  Prisão de músico da ConeCrew Diretoria por plantio de maconha acirra debate sobre cultivo

Responda:

Você já teve a sensação de usar a cannabis e não ter o efeito desejado?

Ver Respostas

Carregando ... Carregando ...

Referencias:
Estudo receptores : https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4742341/

 

Fabiano Soares

Fabiano é químico por formação e ativista por natureza. Com seus 28 anos, faz mestrado na UFPR com objetivo de estudar um pouco mais sobre a Cannabis e os canabinoides. Teve uma passagem em 2016 pelo Uruguai onde pode conhecer um pouco mais sobre a planta e o que é a legalização naquele país e está aqui no SmokeBud duas vezes ao mês, sempre nos dias dia 4 e 20 trazendo artigos relevantes sobre a química da verdinha.
medico maconha

Comente

Escreva seu comentário