Campeã Ronda Rousey vê invasão de privacidade, criticou a lutadora norte-americana

A maconha ganha cada vez mais espaço na sociedade e seu uso e liberação entre atletas já é debatido em diversas modalidades. No caso do MMA não é diferente e a campeã do UFC Ronda Rousey se colocou contra a fiscalização a qual os lutadores são submetidos para a descoberta do uso da erva.

“Está além dos direitos deles. Na verdade, é uma invasão de privacidade”, criticou a lutadora norte-americana, que tem um cartel de oito vitórias em oito lutas realizadas entre competições como o Ultimate Fighting Championship e o Strikeforce, ao site “MMAJunkie”.

A declaração de Ronda veio depois de Jessica Eye ter sido pega no exame anti-doping pelo uso de maconha, divulgado na última segunda-feira. A lutadora, que compete pela mesma categoria no principal evento de MMA do mundo, teve a substância proibida detectada após o combate contra Sarah Kaufman, em outubro de 2013, tendo sua vitória “cassada”.

Leia também Doping de Jessica Eye foi por uso de maconha; lutadora pede desculpas

“Honestamente, eu sinto que a maconha não é uma droga que melhora a performance. Nós somos testados estritamente por razões políticas. A comissão atlética está aí para garantir que a competição ocorra de maneira justa, mas eles estão nos testando por algo que não tem nada a ver com uma competição esportiva”, completou a faixa preta de judô.

Ronda Rousey, que já havia defendido a liberação do consumo da planta em 2012, volta aos ringues no dia 22 de fevereiro, quando defenderá o cinturão e sua invencibilidade diante da compatriota Sara McMann, na edição 170 do UFC, que será disputada em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Via Uol Esportes