Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Congressistas dos partidos Democrata e Republicano defendem projeto de lei para flexibilizar restrição à erva. As informações são do O Globo

Um grupo de senadores dos dois maiores partidos americanos pedirão a aprovação de um projeto de lei histórico que pode acabar com a proibição nacional de maconha medicinal nos EUA, onde a droga usada como remédio já é permitida em 23 das 50 unidades da federação.

Iniciativa do senador republicano Rand Paul e dos democratas Cory Booker e Kirsten Gillibrand, a proposta deixaria “pacientes, médicos e empresários de estados que legalizaram a maconha medicinal participarem de programas relacionados à droga sem o medo de sofrer processo federal”, segundo o comunicado divulgado pelos congressistas.

Leia também:  Maconha reduz convulsões e pode ser usado contra epilepsia, diz estudo

Mesmo com a permissão em quase metade dos estados americanos, seus moradores adeptos da maconha medicinal podem sofrer sanções de esfera nacional, já que a droga é proibida pela lei federal.

Ainda que parte das entidades que defendem a legalização estejam céticas quanto à nova proposta, o projeto de lei está sendo visto como mais um sopro na direção da flexibilização nacional. O Senado dos EUA sempre foi visto como um bastião de resistência a qualquer negociação nesse sentido.

“A proibição da maconha não vai acabar sem uma conversa pública. Este projeto de lei vai levar a discussões sobre o assunto”, opina Allen St. Pierre, da Organização Nacional para a Reforma de Leis sobre Maconha (NORML, na sigla em inglês), em entrevista ao site da revista “Time”.

Leia também:  Governo do DF vai importar medicamento à base de Maconha

Enquanto, segundo pesquisas, apenas uma pequena maioria dos americanos apoia a legalização do uso recreativo da maconha, uma vasta maioria se posiciona a favor da droga como remédio para ajudar no tratamento de diferentes doenças.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here