Categorias
Esportes e Maconha

Nate Diaz fuma cigarro de maconha e passa para os fãs durante treino aberto do UFC 241

Nate Diaz fechou o treino aberto do UFC 241 em Anaheim, Estados Unidos, nesta quarta-feira, dando trabalho à segurança do Ultimate. O lutador – que encara Anthony Pettis no co-evento principal deste sábado – fumou maconha durante sua participação e chegou a passar para os fãs que estavam na arena. Na Califórnia – estado onde aconteceu a atividade – a maconha é legalizada para todos os fins, entretanto, o gesto do irmão de Nick Diaz foi reprovado por Dana White, presidente do UFC, através de um “emoji” de lamentação no Twitter.

Para evitar polêmicas mas fortes Nate alegou que só tinha CBD – uma propriedade da maconha utilizada para fins medicinais e sem efeitos psicoativos – permitida dentro do código da Wada (Agência Mundial Antidoping).

Depois de três anos inativo, Nate fez questão de bancar o estilo bad boy, dando golpes enquanto soltava baforadas no cigarro. Em certo momento, soltou a fumaça em direção aos jornalistas e pediu para passarem seu cigarro ao público. Enquanto assistiam ao americano no tatame, diversos torcedores foram tragando e passando o cigarro de mão em mão – até um segurança recolher.

Na sequência da apresentação, Nate Diaz foi à entrevista explicar a sua inusitada atitude ao longo da atividade.

Um jornalista interrompeu o americano e perguntou: “Mas o que era aquilo?. Nate respondeu, ironicamente:
– Era CBD, recomendado pelo meu nutricionista.

Categorias
Esportes e Maconha

KO Kush: Mike Tyson convidou Conor McGregor para provar sua própria espécie de cannabis

Como um artista nocauteado temível, Tyson o lutador tornando-se o homem mais jovem a ganhar o título mundial dos pesos pesados ​​com apenas 20 anos em 1986 agora também é um empresário do mercado da cannabis, no seu rancho ele cultiva uma especialidade conhecida como “KO Kush”.

De acordo com uma postagem recente compartilhada por McGregor no Instagram, os dois colocaram suas diferenças ‘para dormir’, com a polêmica estrela do MMA admitindo que Tyson sempre terá seu ‘amor e respeito sem fim’.

McGregor escreveu: “Eu fui ver Mike Tyson na noite passada em Helix, Dublin, Irlanda. Eu amo e respeito Mike Tyson. E eu amo a Helix. Eu ganhei meu primeiro título mundial aqui, e também o meu segundo.

“Foi bom conhecer você, Mike. Você falou algumas coisas sobre mim no passado que eu não gostei e fiquei feliz em falar com você cara a cara.

“Você está de bom humor e eu estava feliz em ver isso! Eu sempre terei o maior respeito por você! Algumas decisões que você tomou em torno de suas finanças eu não concordo. Como um lutador você deve lutar aqui. O mais. E essa é uma luta que nunca termina, é até uma briga que passamos para o nosso próximo na fila Nossa linha de sangue.

“Certifique-se de ficar ligado com aqueles em torno de você em todos os momentos. Você tem boas pessoas ao seu redor agora, eu posso dizer. Mas fique ligado. Sua variedade de maconha que você cultiva em seu próprio rancho ‘KO Kush’ é realmente legal. Foi uma honra prová-lo e desejo a você e à sua equipe tudo de bom com este esforço.

“Apenas lembre-se, se alguém tentar te rasgar. Rasgue o nariz do rosto deles. Você é um ícone de luta e merece amor e respeito infinitos! E de mim, você sempre terá isso!

“Não deixe ninguém tirar nada de você. Você não deve nada a ninguém. É você quem deve. Lembre-se sempre disso.”

McGregor seguiu isto com outra foto de si mesmo rindo, um baseado seguido de uma descrição sobre o produto: “Alguns riem daquela Cherry Pick Kush”.

Categorias
Esportes e Maconha

Legalize: Pé de maconha cresce na arquibancada do estádio do Peñarol, no Uruguai

Alguém no Uruguai jogou uma semente de maconha no estádio do Peñarol e adivinhe. Cresceu! Nesta semana, uma pequena planta de cannabis foi encontrada no Estádio Campeón del Siglo. Um torcedor gravou um vídeo para mostrar o pé de maconha e viralizou.

Pra quem não sabe…
Em julho de 2012, o governo do presidente do José Mujica anunciou planos de venda de maconha – controlada pelo Estado, de maneira a combater os crimes do tráfico de droga e por questões de saúde. A lei foi aprovada em 2013.

venda de cannabis nas farmácias começou em julho de 2017, como a terceira e última etapa da implementação da Lei 19.172, aprovada pelo Senado em 19 de dezembro de 2013, que permite o acesso à droga para fins recreativos. Hoje é possível até mesmo reservar maconha nas farmácias.

Categorias
Esportes e Maconha

Rússia libera maconha e cocaína para uso medicinal na Copa do Mundo

O Comitê Organizador da Copa da Rússia anunciou que torcedores poderão levar ao país, durante o evento, uma série de substâncias psicotrópicas. Desde que respeitem as exigências legais. Codeína, morfina, anfetaminas, maconha e até cocaína estão entre as centenas de drogas autorizadas.

Isso porque a Rússia terá de seguir condições impostas pela Comissão Econômica Euroasiática em 2015 para a importação e exportação de tais substâncias.

Segundo o jornal russo “Izvestia”, torcedores deverão apresentar atestados médicos, em russo ou em inglês, provando que estão trazendo as drogas apenas para uso medicinal. Policiais irão avaliar a autenticidade do documento e, caso
tudo esteja em ordem, fãs poderão inclusive entrar nos estádios portando as substâncias, afirma o jornal.

Pelas regras da Fifa, porém, há uma quantidade máxima a ser respeitada: tanto russos quanto estrangeiros poderão entrar nos estádios com até sete medicamentos, desde que não estejam levando mais de uma embalagem de cada um. Quem precisar entrar com uma quantidade maior também precisará de prescrições provando essa necessidade. Fumar maconha nos estádios é proibido pela lei russa, mas, no caso da Copa, a substância está liberada em outras formar medicinais, como gotas. Se o torcedor apresentar a tal receita médica, claro.

Curiosa é a inclusão da cocaína na lista. Enquanto derivados do ópio como morfina e codeína são amplamente utilizados principalmente no tratamento de dores, e o uso medicinal da maconha já é uma realidade em diversos países, é difícil
entender em qual situação um torcedor poderia entrar legalmente na Rússia com a droga.

“Que eu saiba não existe uso medicinal da cocaína”, diz Juares Costa, psiquiatra e doutor em psicologia pela PUC de Campinas (SP). Ele lembra que há tempos a substância não é prescrita por médicos. Acontecia principalmente até a primeira metade do século passado, mas hoje não há relatos significativos sobre sua utilização.

“O primeiro uso dela foi anestésico. Mas hoje não conheço um medicamento que usa cocaína em sua composição”, diz o psiquiatra. “A cetamina, por exemplo, é um anestésico de animais que hoje também é usado no tratamento da esquizofrenia. Mas isso é algo diferente.”

Especialistas russos divergem sobre liberação
De acordo com a reportagem do “Izvestia”, o narcologista do Ministério da Saúde russo Yevgeny Bryun não gostou muito das permissões. Ele disse ao jornal que “não vê risco de revenda” das substâncias no país, mas considera a prescrição
médica de maconha “propaganda para a legalização de drogas”. “Estou chocado”, afirmou.

Outro entrevistado do “Izvestia”, o pesquisador da Academia Russa de Ciências Mikhail Paltsev, acredita que “é perigoso deixar pessoas com essas drogas nos estádios, porque elas podem ficar nervosas e tomar uma quantidade maior do medicamento que a necessária, como sedativo”.

Outra preocupação de Paltsev é com a venda de bebidas alcoólicas nos estádios.
“Se o torcedor tomar o medicamento e também ingerir álcool, poderemos ter consequências negativas.”

Já o diretor do Instituto de Saúde e Gestão Médica, David Melik­Huseynov, acredita que isso não será exatamente um problema, porque a maioria dos medicamentos segue um cronograma médico. Ele também destacou o fato de que muitos deles são usados contra a dor, e que barrá­los caracterizaria uma “violação dos direitos dos pacientes”.

Ainda segundo o “Izvestia”, médicos russos fluentes em inglês estarão de prontidão em todos os estádios da Copa do Mundo.

Categorias
Esportes e Maconha

Juninho Pernambucano defende legalização da maconha: “É remédio”

O ex-meia Juninho Pernambucano emitiu uma forte opinião e criticou a postura proibitiva do país na “guerra contra as drogas” e citou o exemplo da liberação da maconha como um retrato da postura retrógrada do país.

“Essa coisa da proibição não existe. Estão matando nos morros por causa de cannabis. A cannabis é remédio, achamos que é droga. Brasil é atrasado. Nós somos do avesso”, comentou Juninho, que citou exemplos de antigos companheiros europeus para abordar a questão do alcoolismo.

“Se você nasceu num país que te deu educação desde o princípio, como na Europa, é diferente. Na Europa, joguei com alcoólatra no meu time, mas a coisa é mais aberta, mais educativa”, acrescentou.

Juninho opinou que há falta de acompanhamento com os jovens nas categorias de base dos grandes clubes. Inclusive destacou o caráter duro da pressão vivida pelos atletas ainda adolescentes nas divisões inferiores dos principais times do país, já que nem todos vão se firmar como profissional.

“Tem médico viciado, jornalista viciado. A pressão na vida te faz buscar soluções às vezes. Às vezes a pressão que jovem consegue para conseguir se firmar não é humana. Ninguém é capaz, principalmente no Brasil [de aguentar]”, concluiu Juninho Pernambucano.

Categorias
Esportes e Maconha

4/20: Ex-atletas fazem video a favor do uso da maconha no esporte! Confira!

Estados Unidos – Alguns ex-atletas norte-americanos resolveram debater sobre o uso recreativo da maconha por parte de esportistas de alto rendimento. Eles gravaram um vídeo para o site “Bleacher Report” que vai promover nesta sexta-feira uma discussão sobre o assunto.

The World's Best Athletes Smoke Weed

The world’s best athletes smoke weed. Watch them smoke with B/R and share their stories Friday on 4/20 #BRx420

Posted by Bleacher Report on Thursday, April 19, 2018

A data de debate (Friday 4/20) não foi escolhida por acaso. O dia 20 de abril nos Estados Unidos é grafado como 4/20, e faz referência à expressão 4:20pm, horário que estudantes da Califórnia teriam padronizado na década de 70 para fumar maconha.

A campanha conta com depoimentos de ex-atletas de destaque na NBA e na NFL, todos usuários de maconha. Do basquete, vieram Al Harrington, Matt Barnes, Kenyon Martin, Gary Payton e Cuttino Mobley. Do futebol americano, vieram John Moffit, Shaun Smith, Ricky Williams, Eben Britton, Ryan Clady e Bo Scaife. Em comum, todos apoiam o uso liberado da maconha no esporte.

Categorias
Cinema e Televisão Esportes e Maconha

UFC: Lutador revelação ganhou um baseado com formado de luva após vitória!

Neste último sábado, a revelação do UFC Sean O’Malley foi a estrela da noite em Las Vegas ao derrotar Andre Soukhamthath e ganhou um prêmio inusitado de seu patrocinador: uma luva recheada com maconha. As informações são do Super Lutas.

Sean O’Malley brilhou no UFC 222, evento realizado no último sábado (03), em Las Vegas (EUA). A jovem de revelação, de apenas 23 anos, derrotou Andre Soukhamthath e levou o prêmio de ‘Luta da Noite’, mesmo com uma grave lesão no pé sofrida no terceiro round. Mas o prêmio mais inusitado veio de seu patrocinador: uma luva dourada recheada com maconha.

O’Malley, que é patrocinado pela Atrium Cannabis, uma clínica autorizada em comercializar a erva nos Estados Unidos, revelou que empresa estava ‘preparando uma mistura de maconha perfeita’ para sua festa em caso de vitória. O lutador filmou a festa e o presente recebido pela patrocinadora (assista abaixo).

Sean O’Malley está invicto em sua carreira profissional no MMA, com 10 vitórias em 10 lutas. O norte-americano soma dois triunfos pelo UFC sobre Terrion Ware, em dezembro de 2017 e Andre Soukhamthath, no último sábado (03).

https://www.youtube.com/watch?v=WcACwdPARuo

Categorias
Esportes e Maconha

Green Rush: Mike Tyson vai cultivar maconha no seu resort

Mike Tyson aproveitou o boom da maconha Estados Unidos e decidiu que seu resort agora terá muita maconha e que irá produzir várias estirpes de alta qualidade de THC e CBD, mas também implementar tecnologia de ponta para avançar a pesquisa sobre a saúde benefícios da maconha.

Em 20 de dezembro, o ex campeão peso pesado abriu terreno em um terreno de 40 acres na Califórnia, um deserto à cerca de 60 milhas a sudoeste do Parque Nacional do Vale da Morte. Ele juntou-se aos parceiros comerciais Robert Hickman, Jay Strommen e também a prefeita Jennifer Wood.

Hickman diz a The Blast que as “terras não desenvolvidas são preparadas para serem cultivadas” e Tyson Ranch será um oásis no deserto.

A Cidade da Califórnia está esperando um grande boom na produção e desenvolvimento de cannabis, já que o “Green Rush” atinge a Califórnia agora que a maconha é oficialmente legal a partir da meia-noite.

Dizem-nos que o Tyson Ranch dedicará 20 acres de suas terras para instalações de cultivo que “permitirão que os produtores mestres tenham o máximo controle de seu ambiente”. Também haverá uma Escola de Cultivo Tyson para ensinar aos produtores as maneiras mais recentes e melhores de aperfeiçoar suas próprias tensões.

Junto com o crescente cannabis de alto teor, o Tyson Ranch apresentará:

  • Centro de alimentação e abastecimento de hidroalimentação
  • Instalação de extração
  • Fábrica de comestíveis
  • Parques de campismo e cabines “glamping” premium
  • Anfiteatro

Entenda o Green Hush
Tyson acredita há muito tempo nas propriedades da maconha, e sua fazenda trabalhará para melhorar a pesquisa médica e o tratamento da planta. CBD – um composto de cannabis sem propriedades psicoativas – foi comprovado como um agente antiinflamatório, anticonvulsivo, antioxidante e antipsicótico. Também foi usado para tratar o PTSD (Stress pós traumático).

Dizem-nos que a empresa que opera o rancho, Tyson Holistic, é composta principalmente de veteranos e diz que cuidar de homens e mulheres que serviram nas forças armadas é uma prioridade. A fazenda está localizada perto da Base da Força Aérea de Edwards e tem como objetivo criar muitos trabalhos, bem como se conectar e devolver a comunidade. O prefeito descreve o negócio como um “renascimento” para toda a cidade.

Categorias
Esportes e Maconha

Óleo de maconha deixará de ser substância proibida no Antidoping à partir de 2018

A WADA (Agência Mundial Antidoping) anunciou na última sexta-feira que o canabidiol será retirado de sua lista de substâncias proibidas a partir de 2018. Mais conhecida como CBD ou óleo de cannabis medicinal, a substância é uma das 113 canabinoides encontradas na cannabis sativa e compõe aproximadamente 40% do extrato da maconha. Em forma de óleo, o canabidiol é vendido por farmácias licenciadas e prescrito por médicos nos EUA, em locais onde o tratamento é permitido. As informações são do SporTV.

Atualmente, todos os canabinoides são proibidos no período em competição pela WADA.

“Canabinoides não serão mais proibidos. O canabidiol sintético não é um cannabimimético. No entanto, o canabidiol extraído de plantas de cannabis também pode conter diferentes concentrações de THC, que continua a ser uma substância proibida”, escreveu a agência em seu website.

No ano passado, após ser derrotado por Conor McGregorno UFC 202, em Las Vegas, Nate Diaz apareceu na coletiva de imprensa pós-evento com um vaporizador eletrônico que continha óleo de CBD.

Nate já declarou outras vezes ser portador de uma licença para uso de cannabis medicinal. Em Nevada, estado americano onde fica Las Vegas, pacientes com licença para uso de maconha medicional podem comprar legalmente alguns tipos de CBD.

Na época, o lutador recebeu uma advertência pública da USADA (agência que regula o programa antidoping do UFC), porque apesar de ter feito o teste antidoping no vestiário, o lutador ainda poderia estar sujeito a ser testado novamente, já que o órgão considerava que o período “em competição” acabava seis horas depois da luta. No início deste ano, a USADA e o UFC mudaram a política antidoping da organização. Agora, o período “em competição” acaba assim que o lutador faz o teste antidoping após o combate.

Categorias
Esportes e Maconha

Ministro do Esporte da Russia faz piada e diz que vão dar maconha para Seleção da Holanda, se ela se classificar

O presidente da Federação Russa de Futebol e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2018, Vitaly Mutko fez uma brincadeira polêmica no último sábado, em São Petersburgo. Durante a entrevista coletiva em um hotel ele disse que mandaria entregar maconha para a seleção holandesa, caso a Laranja Mecânica se classifique para o torneio do ano que vem. Logo após a frase, fez questão de dizer que era uma piada. As infos são do GE.

Ao comentar sobre as opções de centros de treinamento para a Copa, Mutko citou a região de Ulyanovsk como uma das que está preparada para receber as seleções. O local fica a cerca de 800 quilômetros de distância da capital Moscou, por exemplo, e talvez por isso tenha virado o alvo da polêmica piada com os holandeses:

“Vamos recomendar a região de Ulyanovsk para a Holanda. Se eles ficarem lá, podemos mandar entregar maconha para eles. Na Holanda é liberado. Estou brincando, é claro (risos). Em geral, cada equipe faz suas próprias exigências”, disse Mutko.

Primeiro, a Holanda precisa conquistar sua vaga no Mundial. O time ainda está em terceiro lugar do Grupo A das eliminatórias da Europa com 10 pontos, atrás de Suécia e França, ambas com 13. Faltam quatro rodadas e apenas os oito primeiros colocados de cada chave garantem lugar direto na Copa. Os segundos melhores farão repescagem para definir os quatro restantes que irão à Rússia.

Na Holanda o uso de maconha é tolerado em algumas situações específicas. Os “coffee shops”, por exemplo, podem vender cinco gramas por dia para uma pessoa, mas menores de 18 anos não têm permissão.