Diego Ferreira¹, agente da lei, Conselheiro Estadual de Políticas sobre Drogas – CONED no Rio Grande do Sul e porta-voz da Leap Brasil, indaga como uma sociedade que vê com certa normalidade a comercialização e uso do álcool e tabaco, entre jovens e adolescentes, mas de forma irracional e desproporcional torna o ato de fumar maconha em crime.

[pull_quote_center]Ninguém fica ojerizado quando vê um adolescente, usuário de álcool, bebendo uísque, vodca ou cerveja. Ninguém fica estarrecido quando vê um jovem, usuário de tabaco, fumando cigarro. Por que, então temos essas reações e comportamentos quase que animalescos quando vemos um adolescente ou adulto fumando maconha na praia ou na praça com amigos!?[/pull_quote_center]

A sociedade ficou com Alzheimer da história e do raciocínio lógico. Mesmo que admitíssemos que não sabemos ô porque da proibição e criminalização de determinadas plantas e substâncias, pois se a lei proíbe é porque deve haver alguma razão extremamente relevante e significante, e como confiamos na lei e a respeitamos, está tudo bem.

Contudo, o ser humano possui um poder e uma capacidade extraordinária que é o pensamento e o raciocínio (encadeamento lógico de juízo e pensamentos), dons esses que nos diferenciam dos animais. Todavia, a opressão do sistema proibicionista combinada com a manipulação e sonegação da informação, criou uma ilusão, um delírio, de tal intensidade, que, ainda, está agindo e afetando os canabinoides do nosso cérebro, de que essas plantas e substâncias “matam os neurônios”

Aperte e Leia: Polícia Drogada

Se aceitamos que se comercialize drogas como o álcool e o tabaco, bem como toleramos que jovens sejam usuários dessas drogas, pois a lei não proíbe, tão pouco criminaliza o uso/consumo dessas substâncias, mas sim a venda, por que ser diferente com outras drogas. Ninguém fica ojerizado quando vê um adolescente, usuário de álcool, bebendo uísque, vodca ou cerveja. Ninguém fica estarrecido quando vê um jovem, usuário de tabaco, fumando cigarro. Por que, então temos essas reações e comportamentos quase que animalescos quando vemos um adolescente ou adulto fumando maconha na praia ou na praça com amigos!? A resposta é simples, por que é proibido, ele é um criminoso. Nossa sociedade irracionalmente tornou essa conduta humana um crime, possuir e utilizar determinadas coisas ou substâncias.

Aí! nós nos questionamos, como é possível condutas semelhantes, serem tratadas pela sociedade de forma tão desigual e desproporcional!? Não podemos mais fugir do grave problema e equívoco que fizemos no passado. Não podemos ter medo da irracionalidade, da intolerância e do preconceito. A coragem salta gerações. Temos que nos apropriar dela para discutir esses assuntos tão importantes e caros para um Estado, que se diz Democrático e de Direito. Estamos na era da informação. Não podemos mais nos esconder na ignorância, pois nela somos vítimas, no conhecimento nos tornamos responsáveis.

10655256_10154727134835524_6428549907420635217_o

¹Inspetor de Polícia, pós-graduado em Segurança Pública e Cidadania pela UFRGS. Trabalha no Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico-DENARC, da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, é membro do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas e Porta-Voz, no Brasil, do movimento Law Enforcement Against Prohibition – Leap Brasil

Ilustração de capa: Fabio Turbay