Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O cantor Sting foi alvo de críticas no Uruguai por dar apoio à legalização da maconha no país, aprovada na semana passada pela Câmara dos Deputados. Ele é acusado pela oposição do país sul-americano de querer usar o país como laboratório para uma das entidades a que é filiado.

O projeto, que ainda passará pelo Senado uruguaio, recebeu forte apoio da Drug Policy Alliance, influente organização sediada nos Estados Unidos. A entidade defende a legalização das drogas baseada em aspectos legais, de saúde pública e de combate ao crime.

Além de Sting, a Drug Policy Alliance tem como principais membros o magnata britânico Richard Branson, a editora-chefe do “Huffington Post”, Ariana Huffington, e George Shultz, ex-secretário de Estado americano no governo Ronald Reagan.

sting2

Como membro honorário, o cantor defende a reforma na política antidrogas, de modo a usar a verba gasta para superar problemas como a pobreza e o aquecimento global. Em fevereiro, a líder da entidade para as Américas, Hannah Hetzer, foi a Montevidéu para dar apoio à campanha dos ativistas locais.

No exterior, o apoio veio por meio de propagandas nos Estados Unidos e na internet sobre o projeto. A campanha, porém, foi encarada pela oposição como uma interferência indevida e um apoio político ao presidente José Mujica, que deu seu apoio à lei.

Para o deputado opositor Gerardo Amarilla, do Partido Liberal, a medida não seria aprovada sem o apoio da entidade, a quem acusou de querer impor “o imperialismo cultural” e de usar o país sul-americano como laboratório.

“Eles não podem se meter no Uruguai. Eles deveriam fazer lobby no seu próprio país porque eles não vão sofrer os problemas de segurança e saúde. Eles estão completamente fora de contexto. Esse é um teste que não vai dar certo e prejudicar uma geração inteira”, disse o deputado opositor Gerardo Amarilla.

PROJETO

O Uruguai deu na semana passada um passo para a legalização da maconha, depois que a Câmara dos Deputados aprovou um projeto que, se for aprovado pelo Senado, fará do Estado uruguaio o primeiro no mundo a assumir o controle de todo o processo de produção e venda da droga.

O projeto de lei estipula que o Estado assuma o controle e a regulação da importação, do plantio, do cultivo, da colheita, da produção, da aquisição, do armazenamento, da comercialização e da distribuição de maconha e seus derivados.

Após se registrar, o usuário poderá comprar até 40 gramas de maconha por mês em farmácias, mas também será permitido o cultivo para uso próprio e em clubes de fumantes. Mujica diz que ainda é cedo para falar sobre a extensão do projeto para drogas mais pesadas, como a cocaína.

A iniciativa uruguaia se insere na proposta da Comissão Global de Política de Drogas –integrada pelos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (Brasil), César Gaviria (Colômbia) e Ernesto Zedillo (México), entre outros.

Fonte: Folha de S. Paulo

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

pessoas


Curte nossa nova página no Facebook

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here