Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Sugestão de um cidadão ganhou o apoio de 20 mil pessoas em apenas três dias e uso recreativo da maconha volta a ser discutido pela Comissão de Legislação Participativa (CDH). Você pode ajudar clicando e votando aqui.

A Sugestão que propõe a descriminalização do Cultivo das Plantas Psicotrópicas foi enviado por Gabriel Lima, de São Paulo e o tema virou sugestão legislativa (SUG 25/2017) e aguarda parecer. Caso favorável, os senadores encampará o tema como projeto de lei.

Os argumentos para a mudança na política de drogas é: promover um aumento da arrecadação do estado – uma vez que a maconha poderia ser tributada – e sendo legalizada, e diminuir a venda pelo tráfico. Além do mais, pouparia o trabalho da polícia e da Justiça. A matéria do Senado completa você pode ver abaixo.


Assine nosso canal no Youtube e veja primeiro!

Pode dar em algo?
Sim, eu to ligado que existe o mito de que no Brasil nada vai pra frente. E que isso é mais uma enganação dos políticos pra população acreditar que de fato está participando, é uma meia verdade. Em 2014 conseguimos levar, juntos, a SUG8 no Senado e foi de lá que que a maconha medicinal começou a ser descriminalizada. É um passinho formiguinha, mas temos que acreditar e deixar a síndrome de vira-lata de lado.

Leia também:  Política de drogas do Brasil pode ter mais um retrocesso

Mas nem tudo são flores!
Se o Supremo Tribunal Federal (STF), a alta instância do Poder Judiciário do Brasil vir a debater ainda nesse ano, há indícios que o relator da vez será Sérgio Petecão, do Acre e ao que dá entender a proposta pode não avançar ou existir um mais um lobby.

O parlamentar é acusado em 2010, quando exercia a presidência da Assembleia Legislativa do Acre (AL-AC), ter montado, juntamente com o então presidente da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) de Rio Branco e outros corréus, um esquema com presidentes de associações de bairros pelo qual a Emurb se comprometia a realizar obras urbanas em troca de votos a seu favor. Ele também teria montado um esquema de doação de terrenos, aparelhos eletrônicos e bicicletas em troca de votos. A defesa do senador afirma que a denúncia carece de indícios materiais ou atos concretos do parlamentar, mas segundo a investigação ele também teria “laranjas” para pedir empréstimos bancários, no final de setembro daquele ano – véspera das eleições – para comprar votos ao preço unitário de R$ 50,00.

Leia também:  Chile sediará maior encontro sobre uso medicinal de maconha na América Latina

Diz aí

Quanto tempo você acha que vai pra legalizar no Brasil?

Ver Respostas

Carregando ... Carregando ...

Fonte: [1], [2]

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here