Empresa conquistou o direito em órgão que regula o mercado financeiro dos EUA e espera conquistar um aporte de US$ 6,8 milhões. As informações são da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

A Terra Tech, com sede na Califórnia, Estados Unidos, conseguiu autorização da Securities and Exchange Commission (SEC), órgão que regula o mercado financeiro americano, para levantar US$ 6,8 milhões para construir e operar um negócio que terá como base a maconha.

Derek Peterson, CEO da Terra Tech, está apostando que o governo federal vai interromper sua oposição à maconha depois que os estados da Califórnia e de Nevada aprovarem, em 2016, medidas que vão liberar o uso recreativo da droga. Isso, junto com a liberação já conquistada no Colorado, Oregon, Washington e Alaska, pode forçar o governo a rever a proibição, na opinião do empreendedor.

“Eu realmente acredito que esse setor será regulamentado como o do álcool”, afirma Peterson. “Se tudo correr bem, estou otimista que o governo federal poderá acabar com a proibição em cinco ou dez anos.”

Peterson já tem em Oakland, na Califórnia, um laboratório de maconha para uso medicinal e um local onde atende cerca de 900 clientes por dia. Agora, com a aprovação da SEC, o negócio poderá ser incorporado à Terra Tech.

A venda legal de maconha nos Estados Unidos deve registrar US$ 2,3 bilhões em 2014, segundo o ArcView Group, uma empresa de capital de risco de São Francisco especializada no setor. Em 2018, essa cifra deve chegar a US$ 10 bilhões.