O Ministério da Saúde instituiu o dia 27 de novembro como o dia nacional de combate ao câncer. No mesmo dia, em várias cidades do Brasil, a Rede Nacional pela Legalização da Maconha vai realizar o DIA NACIONAL PELA LEGALIZAÇÃO DA MACONHA E COMBATE AO CÂNCER.

A mídia amestrada de mercado na ditadura civil/militar propagandeava que o que era bom para os Estados Unidos da América (USA) era bom para o Brasil. Demonstrava toda sua subserviência e assim agradecia o apoio das forças armadas americanas, que colocaram sua frota em nossos mares e sua embaixada a serviço do golpe de 1964 que depôs o presidente eleito João Goulart.

Essa propaganda tem reflexos até hoje, pois a maioria dos brasileiros preferem os Estados Unidos a outros lugares do planeta, onde gastam fortunas em dólares em seu turismo consumista. Poucos vão para conhecer a maravilhosa história de lutas e o povo simpático, que conquistou tantos direitos sociais e econômicos e, principalmente, grandes vitórias em relação a direitos civis, políticos e culturais.

Em relação à maconha, os americanos, através de plebiscitos, legalizaram a planta para fins medicinais em 18 estados e no distrito de Columbia. O sucesso da Canábis no tratamento do glaucoma, cólicas menstruais, esclerose múltipla, doenças inflamatórias e AIDS é uma realidade, mas a maior razão para a legalização da erva da paz pela democracia direta é o câncer. Na medicina mais avançada do mundo, médicos prescrevem maconha a pacientes com câncer para aliviar a dor e náuseas causadas pela quimioterapia e para aumentar o apetite, fazendo com que os pacientes se alimentem bem, ajudando assim no combate a doença.

Em ordem cronológica, os seguintes estados legalizaram a maconha para fins medicinais: Califórnia(1996), Washington(1998), Oregon(1998), Alasca(1998), Maine(1999), Nevada(2000), Havaí(2000), Colorado(2000), Vermont(2004), Montana(2004), Rhode Island(2007), Novo México(2007), Michigan(2008), Nova Jersey(2010), Washington, D.C.(2010), Arizona(2010), Delaware(2011), Massachussetts(2012), Connecticut(2012).

Jamais concordei com o lema do regime militar/civil, que instaurou um política de Estado de tortura, morte e desaparecimento de jovens que lutaram contra aquele regime. Mas devo reconhecer as grandes conquistas do povo americano na luta contra preconceitos. Em relação à maconha, que poderia ajudar tantos brasileiros no tratamento dessa terrível doença, devemos tirar o chapéu para nossa irmandade do norte.

A criminalização da maconha para fins medicinais é de uma ignorância sem limites. Desta hipocrisia, os americanos estão se libertando e vivem hoje no país em que mais se planta maconha no mundo. Sob esse aspecto, devemos reconhecer que, se a maconha é boa para os Estados Unidos da América, também é boa para o Brasil.