Uma vez aprovada e entrando em vigor a lei que regulamenta a venda, o consumo e  a produção da maconha, o país latino-americano importará sementes para iniciar a produção em massa da erva 

Embora o senado uruguaio tenha a última palavra para aprovar a lei de regulamentação da maconha, o governo já está trabalhando na implementação da iniciativa. Segundo um porta voz do Presidente do Uruguai, Diego Cánepa, também serão utilizadas sementes próprias para cultivar a planta.

“Logo aparecerão os primeiros produtos do mercado regulado, com a rastreabilidade de produção que permite um controle maior do mercado interno. Uma vez que o mercado ilegal passará a ser regulado, ocorrerá uma queda no preço.”

Asseguro que haverá uma “baixa generalizada dos valores da maconha no país, e isso é o que se espera”. Diego Cánepa insistiu que nas políticas do Governo sobre a maconha, o tabaco e o álcool, o mais importante é a “regulamentação” porque com ela busca-se “atacar o vício, visualizando o problema e orientando o usuário a um tratamento diferente”.

A medida foi proposta pelo presidente do país, José Mujica, para combater o crime organizado e arrematar um forte mercado do narcotráfico. Segundo o projeto de lei, cada consumidor será registrado previamente em um banco de dados, que não será público, possibilitando a compra de até 40 gramas ao mês em farmácias determinadas ou cultivar em casa até seis plantas que produzam não mais de 480 gramas por colheita.

Tradução SmokeBud
Via RT Actualidad