Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

As autoridades sanitárias francesas validaram na semana passada a comercialização do Sativex, um spray bucal à base de maconha. O produto, que deve chegar ao mercado em 2015, será prescrito apenas para pacientes que sofrem de esclerose múltipla e sua comercialização terá uma série de restrições. O Sativex já é autorizado em vários países europeus, mas na França sua indicação causa polêmica.

O Sativex, que deve ser comercializado na França pela empresa Almirall, é composto de CBD (canabidiol), uma molécula psicoativa derivada da cannabis sativa (nome científico da maconha), e de THC (tetrahidrocanabinol), substância fabricada pela planta e principal responsável pelos efeitos euforizantes da erva. Seu uso na França será restrito aos pacientes que sofrem de esclerose múltipla, mas estudos internacionais já estão sendo realizados para comprovar a eficácia do medicamento contra dores e náuseas associadas ao câncer e a quimioterapias.

No caso da esclerose múltipla, em que os pacientes sofrem de espasmos musculares violentos, a cannabis sativa comprovou um efeito analgésico. “Como a maconha tem um poder relaxante importante, as pessoas deixam de ter dores e retomam seus movimentos”, explica o médico psiquiatra e professor da Unifesp Dartiu Xavier da Silveira. Fundador do Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes (Proad) e autor de estudos sobre o tema, ele também ressalta que o risco de dependência após o uso terapêutico da maconha é inexistente.

Uso terapêutico da maconha ainda enfrenta resistência, afirma especialista

(05:25)

 
 

Vendido sob forma de spray bucal, o Sativex não entra na corrente sanguínea tão rapidamente quanto a fumaça da maconha, o que diminui o risco de tornar o usuário dependente. No entanto, esse argumento não impediu as críticas após o anúncio de sua comercialização. Pensando nisso, as autoridades já preveem um sistema de venda controlado e os estoques das farmácias serão guardados em cofres.

A planta da maconha havia sido excluída da farmacopeia francesa desde 1953 e seu uso, tanto terapêutico como recreativo, é proibido no país. No Brasil, a comercialização do Sativex está sendo analisada, mas ainda não foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Procurado pela reportagem, o organismo brasileiro não se manifestou sobre o assunto.

Via RFI

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

pessoas


Curte nossa nova página no Facebook

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here