A OMS (Organização Mundial da Saúde) reconhece que a maconha pode ajudar no tratamento de náusea em pacientes de câncer e Aids, mas diz que outras aplicações da erva ainda precisam ser respaldadas por pesquisas.

A entidade lista estudos clínicos que têm tido bom resultado no tratamento de glaucoma, anorexia, depressão e convulsões, mas afirma que ainda é preciso elucidar a biologia básica da ação da maconha nessas doenças.

Com relação a efeitos colaterais, a OMS diz que a droga eleva o risco de dano cognitivo de longo prazo, doenças respiratórias e esquizofrenia.

Via Folha de S.Paulo