Usuários de maconha não têm uso maior de serviços de saúde, diz pesquisa

Pesquisadores dos EUA não encontraram diferença na saúde geral entre aqueles que usam maconha todo dia e quem não usa a droga

Com a legalização da maconha se tornando uma realidade em cada vez mais estados nos EUA, há uma preocupação crescente em descobrir os impactos dessa medida na saúde pública. Com a legalização, no entanto, fica mais fácil registrar e estudar usuários da droga, e foi isso que a Universidade de Boston fez para descobrir que não há uma associação entre a frequência do uso de maconha e a saúde ou um maior uso dos serviços de saúde por parte do usuário.

589 adultos que usam drogas (não só maconha) foram questionados sobre a frequência de uso de drogas, a frequência com que visitam o pronto-socorro e com que sofrem hospitalizações, além de outras informações sobre diagnósticos médicos e sua saúde em geral.

84% dos estudantes afirmaram que usam maconha, 25% faz uso de cocaína, 23% de opioides e 8% de outras drogas. Desse total, 58% usa apenas maconha. E os pesquisadores não encontraram diferença no uso de serviços de saúde nem na saúde geral entre aqueles que usam maconha todo dia e quem não usa a droga.

O médico que conduziu a pesquisa, Daniel Fuster, disse que embora eles não tenham comparado usuários de maconha a não-usuários, ele afirma que é muito baixo o efeito detectado do uso de maconha na saúde e no uso de serviços de saúde de um usuário.

Via, Galileu