O mercado e os consumidores de produtos com “zero glúten” podem comemorar, farinha de cânhamo e chá verde podem ser utilizados para desenvolver um biscoito isento de glúten e muito nutritivo. As informações são do site Planeta Sustentável

O mercado para alimentos sem glúten e com propriedades funcionais passa por um crescimento explosivo em todo o mundo, envolvendo todas as categorias.

A necessidade de substituir proteínas do trigo, fibras e minerais é muito importante no fornecimento de uma seleção melhor e mais nutritiva, para a parcela crescente da população que busca estes alimentos.

Ao mesmo tempo, a utilização de subprodutos do processamento deles como fonte de ingredientes funcionais – antioxidantes, fenóis, fibras e proteínas -, se encontra em alta, o que é um apoio à sustentabilidade.

Agora, uma equipe de cientistas de alimentos da Universidade de Novi Sad, na Sérvia, e do Centro de Pesquisa Alimentar Guelph, no Canadá, descobre que a farinha de cânhamo, um produto do óleo prensado da planta, em combinação com folhas de chá descafeinado, pode ser usada na produção de um biscoito sem glúten com propriedades funcionais, de acordo com estudo publicado na edição corrente do Journal of Food Science.

A farinha é rica em proteínas, fibras, fitoquímicos, minerais, ômega 6 e ômega 3, e portanto um ingrediente muito rico para a fabricação de diversos produtos.

Em termos de aminoácidos, as proteínas da semente da maconha são comparáveis àquelas da clara do ovo e das de soja. As folhas de chá contém compostos que mostram benefícios à saúde, incluindo a prevenção do câncer e a redução dos níveis de colesterol LDL, segundo a Business Standard.