Uma pensionista de Rotorua, teve um ataque cardíaco no dia em que foi presa, por cultivar e comercializar ilegalmente maconha em sua garagem.

Sheryl Margaret Kingi, 65 anos, se declarou culpada no Tribunal Distrital de Rotorua por cultivo e posse de maconha para venda, depois que a polícia descobriu um sofisticado esquema de cultivo e mais de 108.000 mil dólares  em sua propriedade. Ela não tinha condenações anteriores.

De acordo com o resumo policial, a polícia revistou a residência da pensionista, no dia 11 de junho.

Eles encontraram “uma grande operação em escala comercial de maconha” na garagem e unidade adjacente que consistiam no cultivo, secagem e embalagem da droga.
A garagem tinha sido dividida em três áreas principais, que a polícia se refere como uma “sala de culvito primária”, uma “sala de cultivo secundária” e uma “área de operações”.

A “sala primária” era uma estrutura de 7m x 4m fechada dentro da garagem, construída em alumínio e chapas de polietileno de plástico. Dentro dela havíam oito plataformas de madeira de 1,5m x 1,5m, das quais sete tinham pés de maconha crescendo neles.

Havíam unidades de iluminação penduradas no teto, controladas por temporizadores elétricos, e cada planta foi nutrida por um sistema de mangueira controlado por uma unidade de irrigação.

Seis ventiladores e um filtro de carbono grande foram instalados para ajudar a disfarçar o cheiro. O resumo declarou que estes foram “fatores todos projetados para criar o ambiente perfeito para o crescimento das plantas”.

Na área de operações, que abrigava o sistema de irrigação e os temporizadores, também havíam balanças, sacos invioláveis ​​e um quadro branco com anotações sobre o cultivo. A polícia também encontrou 10 sacos de 28g de maconha (conhecidos como “ounce bags” (“sacos de onça”)). Nas unidades adjacentes, mudas foram encontradas em um boxe de banheiro, junto com mais 32 sacos.

cdb07fe52edfc220cecf3f84017ef78e_XL

No total, a polícia encontrou 119 pés de maconha, 30 mudas e 2,37 kg de maconha pronta pra consumo na propriedade.

Utilizando uma estimativa “conservadora” de 350 dólares por onça, a polícia avaliou a cannabis em 108.150 dólares.

Registros de energia sugerem que a operação está em vigor, pelo menos, desde maio de 2009. Durante os 12 meses anteriores, a propriedade tinha usado, em média, 82 unidades de energia por dia. A média nacional para uma casa semelhante foi de 24 unidades.

“Isso ainda sugere que a cannabis está crescendo no endereço durante todo o ano … pelo menos três ciclos de crescimento por ano”, afirmou o resumo.

O promotor de polícia sargento Roger Schreuder afirma que Kingi deveria ser mantida em prisão preventiva, dada a natureza sofisticada de seu crime. No entanto, o juiz John Macdonald a liberou sob fiança para ser julgada em 27 de setembro.

Tradução: SmokeBud
Fonte: Rotorua Daily Post

Cá pra nós, até eu teria um ataque cardíaco se visse todas minha “filhas” sendo levadas…
Coitada da Vovó…
O que os Buddies acham disso ?

  • Jean

    Parabéns Nixon, que o capeta esteja comendo seu rabo todos os dias!